Após resgate dramático, cargueiro holandês à deriva pode virar incidente ambiental

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um navio cargueiro holandês, com o motor quebrado em circunstâncias dramáticas, flutuava à deriva nesta terça-feira (6) em frente à costa norueguesa, informaram as autoridades marítimas. O Eemslift Hendrika, que sofreu uma forte inclinação depois que uma tempestade deslocou parte de sua carga, fez um pedido de socorro por volta do meio-dia desta segunda-feira (5). Os 12 membros da tripulação foram salvos pelos serviços de resgate noruegueses em duas operações diferentes: os oito primeiros foram resgatados por helicóptero e os outros quatro precisaram se jogar na água. Com o motor quebrado, o Eemslift Hendrika continuou à deriva até o litoral norueguês. Na manhã desta terça-feira, estava a cerca de 130 km a noroeste da cidade portuária de Alesund. As autoridades temem que um possível naufrágio provoque um vazamento de hidrocarbonetos, já que o navio leva 350 mil litros de óleo combustível, 75 mil de diesel e 10 mil de óleo lubrificante. Espera-se que o vento mude gradualmente a embarcação para um curso paralelo à costa, dando mais tempo à operação de salvamento, disse à Reuters Hans Petter Mortensholm, da Administração Costeira da Noruega. "Nossos cálculos indicam uma janela de oportunidade para agir, que dura até pouco depois do meio-dia de quarta-feira", disse ele. "O risco de poluição é a nossa principal preocupação." Smit Salvage, subsidiária da empresa holandesa de serviços marítimos Boskalis, disse ter sido contratada para tentar salvar o navio e que está mobilizando uma equipe para enviar à Noruega nesta terça-feira. Se houver condições de segurança, Smit tentará colocar sua própria tripulação a bordo do Hendrika e conectar o navio a um poderoso rebocador construído para mover plataformas para a indústria de petróleo. "Colocá-lo em um cabo de reboque e em um local mais calmo, esse é o objetivo", disse o porta-voz da Smit Salvage, Martijn Schuttevaer. Um navio da guarda costeira norueguesa está de prontidão na área e também pode ser usado para o reboque, disse a Administração Costeira. Construído em 2015 e registrado na Holanda, o Eemslift Hendrika, de 111,6 metros, é um cargueiro que também leva barcos menores em seu convés, de acordo com a Starclass Yacht Transport de Mônaco, que comercializa os serviços do navio. Uma das embarcações menores amarradas ao convés caiu na tempestade.