Após reunião com EUA, Guatemala vê fim de deportações em fronteiras remotas

·1 minuto de leitura
Chanceler da Guatemala, Pedro Brolo

Por Sofia Menchu

CIDADE DA GUATEMALA (Reuters) - Os Estados Unidos irão enviar imigrantes deportados para a Guatemala diretamente por avião, anunciou o ministro das Relações Exteriores do país na quinta-feira, em uma mudança de política que pode encerrar uma prática na qual centenas de deportados eram deixados em uma fronteira remota no meio da selva.

Os comentários do chanceler Pedro Brolo aconteceram depois de reuniões na Casa Branca com autoridades norte-americanas nesta semana, que ele descreveu no Twitter como "muito produtivas".

"A coisa mais importante é que eles se comprometeram a enviar voos de retorno para o centro de retorno de migrantes", disse Brolo à Reuters. "Para que eles não entrem mais em El Ceibo", disse ele em referência ao posto de fronteira no meio da floresta.

O centro de retorno de migrantes fica na Cidade da Guatemala. Os deportados são em maioria migrantes detidos na fronteira dos Estados Unidos com o México tentando chegar aos Estados Unidos.

Brolo disse que foi enfático dizendo que a Guatemala receberia apenas seus próprios cidadãos por via aérea e alguns hondurenhos por terra.

A política dos Estados Unidos de retornar voos para o sul do México causou uma repercussão entre grupos de direitos humanos após cerca de 2.500 migrantes terem sido deixados em El Ceibo sem recursos para voltar para casa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos