Ucrânia promete desmantelar grupos pró-Rússia após acusação de ministra britânica

·1 min de leitura

Em um comunicado publicado neste domingo (23), a presidência ucraniana afirmou que vai desmantelar todos os grupos pró-Rússia no país que possam estar conspirando para desestabilizar a Ucrânia ou sejam cúmplices de eventuais invasores. A Rússia concentra dezenas de milhares de soldados na fronteira ucraniana e pode estar preparando um ataque, temem as potências ocidentais.

As reações ocorrem após o Reino Unido ter afirmado ter "informações confiáveis" sobre manobras do governo russo para "colocar um pró-russo no poder em Kiev".

De acordo com um comunicado da chancelaria britânica, os serviços de inteligência russos entraram em contato com vários políticos ucranianos e "o ex-deputado Ievguêni Muraiev é considerado um líder em potencial" da ex-república soviética, "embora não seja o único". Os serviços de inteligência russos mantêm "ligações com muitos ex-políticos ucranianos", salientaram os britânicos.

Em reação à polêmica, Muraiev pediu o fim "da divisão entre pró-russos e pró-ocidentais" e enfatizou que seu país precisa de "novos líderes políticos" guiados pelos "interesses nacionais da Ucrânia e do povo ucraniano".

Paralelamente, um encontro bilateral entre o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, e o seu colega britânico, Ben Wallace, o primeiro desde 2013, deve acontecer em breve e visa "explorar todos os caminhos para alcançar a estabilidade e uma solução para a crise ucraniana", disse uma fonte do Ministério da Defesa britânico, no sábado.

(Com informações da AFP)


Leia mais

Leia também:
Rússia e Reino Unido aceitam retomar diálogo sobre crise na Ucrânia
Rússia pode atacar Ucrânia "a qualquer momento", previnem EUA
Após revelações do Reino Unido, cresce risco de conflito armado entre Rússia e Ucrânia

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos