Após salto de mais de 15%, ações da BRF operam em queda

·3 minuto de leitura

RIO — Após ter quase 25% do seu capital comprado na última sexta-feira e ver as ações dispararem mais de 15%, os papéis ordinários da BRF (BRFS3, com direito a voto), maior exportadora global de carne e frangos e dona da Sadia e Perdigão, caíam 2,90% por volta de 10h30 do pregão desta segunda-feira.

As ações da Marfrig (MRFG3), por sua vez, cediam 5,15%, acompanhando o movimento visto no último pregão.

Na sexta, o controlador do frigorífico Marfrig, Marcos Molina, comprou cerca de R$ 950 milhões em um leilão de ações da BRF, por meio do JP Morgan, como informou a coluna Capital.

A Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, se desfez de uma fatia de cerca de 3% da BRF em leilão na B3, também na sexta-feira. Essa foi uma das transações que permitiu que a Marfrig acumulasse parte do capital da dona da Sadia.

O Ibovespa tinha leve alta de 0,14%, aos 122.758 pontos. As ordinárias da Pterobras (PETR3) subiam 0,43% e as preferenciais (PETR4, sem direito a voto), 0,77%. As ordinárias da Vale (VALE3) cediam 1,17%.

Dólar tem volatilidade

O dólar opera com volatilidade ante o real no início do pregão, acompanhando um movimento no exterior sem direção única para moedas emergentes.

Os investidores abrem a semana no aguardo de dados sobre a inflação americana, que só devem ser divulgados na sexta-feira, na busca de sinais sobre o destino da política monetária do Federal Reserve, banco central americano.

Por volta de 10h34, a moeda americana era negociada a R$5,32, queda de 0,45%, depois de já ter apresentado altas.

“Acreditamos em uma abertura de viés neutro/positivo para ativos locais, que deverão encontrar dificuldades para se beneficiar dos ventos favoráveis advindos do exterior”, escreveram analistas da Guide Investimentos, em relatório matinal, destacando a preocupação com a possibilidade de uma terceira onda da pandemia.

Boletim Focus: mais inflação

O Boletim Focus, relatório semanal divulgado pelo Banco Central (BC) com as expectativas de agentes de mercado, mostrou que as projeções para a inflação chegaram praticamente no teto da meta do governo, que é de 5,25%.

Para o fim deste ano, a expectativa é de Selic a 5,24% ante os 5,15% da semana passada. Ao término de 2022, a projeção é do índice a 3,67%.

O relatório também mostra crescimento do PIB, que passou de 3,45% para 3,52%. Para o fim de 2022, no entanto, houve decréscimo de 2,38% para 2,30%.

As previsões de Selic mantiveram-se no mesmo patamar.

Bolsas no exterior

Na Europa, as bolsas operam no positivo. Por volta de 10h30, no horário de Brasília, a Bolsa de Londres subia 0,04%. Em Paris, havia estabilidade e o mercado de Frankfurt não opera no dia em razão de um feriado.

As bolsas asiáticas fecharam sem direção contrária. O índice Nikkei, da Bolsa de Tóquio, fechou em alta de 0,2%. Na China, houve avanço de 0,3%. Já em Honh Kong, houve perda de 0,2%.