Após semanas de caos, Rússia diz que mobilização parcial está concluída

Reservistas russos em Volzhsky

(Reuters) - A Rússia completou a mobilização militar parcial anunciada pelo presidente Vladimir Putin em setembro, informou o Ministério da Defesa nesta segunda-feira.

"Todas as atividades relacionadas ao recrutamento... de cidadãos na reserva foram interrompidas", disse o ministério, e nenhum outro aviso de convocação será emitido.

Putin anunciou a primeira mobilização da Rússia desde a Segunda Guerra Mundial em 21 de setembro, uma de uma série de medidas de escalada em resposta aos ganhos ucranianos no campo de batalha.

O ministro da Defesa, Sergei Shoigu, disse na época que cerca de 300.000 recrutas adicionais seriam convocados.

Mas a mobilização ocorreu de forma caótica, com muitos casos altamente divulgados de avisos de convocação indo para homens errados. Centenas de milhares fugiram da Rússia para evitar serem convocados.

Putin reconheceu publicamente que erros foram cometidos e criou um novo conselho de coordenação para impulsionar o esforço militar e garantir que os homens enviados para o front estejam devidamente armados e equipados.

O anúncio desta segunda-feira - dia 250 da guerra - não ofereceu um número final para o número de homens convocados.

A mobilização foi uma admissão tácita de que a Rússia está enfrentando sérias dificuldades em um conflito que Putin ainda se recusa a descrever como uma guerra com a Ucrânia, descrevendo-o como uma "operação militar especial".

A Rússia ainda detém grandes áreas do sul e leste da Ucrânia e ocupa parcialmente quatro regiões do país, mas vem perdendo terreno.

(Reportagem da Reuters)