Após ser acusado de divulgar informações falsas, assessor de Bolsonaro tem conta excluída nas redes

·1 min de leitura

Dias após ter sua conta marcada como publicadora de "informações falsas", o assessor da Presidência Max Guilherme Machado informou nesta sexta-feira que seus perfis no Facebook e no Instagram foram derrubados "sem nenhuma explicação". Membro do gabinete de presidencial, ele costumava acompanhar Bolsonaro na maioria dos compromissos.

Na semana passada, quem tentava seguir Max Guilherme no Instagram recebia um aviso de que "esta conta publicou repetidamente informações falsas que foram analisadas por verificadores de fatos independentes ou que eram contra nossas Diretrizes da Comunidade".

Nesta sexta, o assessor afirmou que suas contas no Facebook e o Instagram foram excluídas "sem nenhuma explicação" e disse que "a guerra dos conservadores contra a censura é pesadíssima".

O Facebook foi procurado para explicar as razões da medida e para esclarecer se ela é temporária ou permanente, mas ainda não retornou.

AO GLOBO, Max Guilherme diz que não recebeu alertas antes do bloqueio e que vai recorrer para recuperar as contas. O assessor do presidente afirma que "nunca divulgou informações falsas".

— É minha ferramenta de trabalho, acho injusto isso — disse ele.

Recentemente, o Facebook excluiu uma live de Bolsonaro, na qual o presidente fazia uma associação inexistente entre as vacinas contra a Covid-19 e a Aids.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos