Após ser alvo de críticas nas redes por bolsonaristas, Renan Calheiros diz que fará 'profilaxia digital'

Extra
·1 minuto de leitura

Em meio à possibilidade de ser relator da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) tem sido alvo de críticas de bolsonaristas nas redes sociais. Nesta segunda-feira, dia 19, ele anunciou por meio de seu perfil no Twitter que pretende fazer, até sexta-feira, uma "profilaxia digital".

"Até a próxima sexta vou me dedicar a estudar temas da CPI e fazer uma profilaxia digital. Para evitar a infecção do radicalismo, o contágio dos extremistas e o negaciovírus, farei um isolamento sanitário, podendo voltar a qualquer momento se houver necessidade", afirmou o senador.

A campanha contra Calheiros, divulgada com a hashtag #RenanSuspeito, entrou nos assuntos do momento no Twitter na manhã deste domingo, dia 18, e perdurou nesta segunda-feira. Ela foi iniciada por aliados do presidente Jair Bolsonaro, como os deputados Alê Silva (PSL-MG), Carla Zambelli (PSL-SP), Carlos Jordy (PSL-SP) e o ex-ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio. Segundo eles, o senador deveria ser considerado suspeito por ser pai do governador de Alagoas, Renan Filho (MDB).

O objetivo da Comissão Parlamentar de Inquérito é apurar possíveis omissões da União no enfrentamento da pandemia da Covid19 no Brasil, e, em especial, no agravamento da crise sanitária no Amazonas com a ausência de oxigênio para os pacientes internados. Atendendo parcialmente a requirimento do senador Eduardo Girão, a CPI deve apurar também recursos federais repassados aos estados e municípios.