Após ser citado em defesa de deputado que apalpou colega, Huck pede rigor da lei contra assediadores

MARIANA CARNEIRO
·1 minuto de leitura
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 12.03.18 - Luciano Huck.  (Foto: Marcus Leoni / Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, BRASIL, 12.03.18 - Luciano Huck. (Foto: Marcus Leoni / Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O apresentador de TV Luciano Huck defendeu punição a assediadores após ter sido citado na peça de defesa do deputado estadual Fernando Cury (Cidadania-SP), que apalpou a colega Isa Penna (PSOL-SP) no plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo.

Como mostrou o jornal Folha de S.Paulo, a defesa de Cury, no processo da comissão de ética do Cidadania, menciona a eventual candidatura presidencial de Huck como possível motivo para que a sigla, segundo ele, lhe condene de forma sumária.

Na tarde desta quarta (6), Huck afirmou que os assediadores devem ter o rigor da lei.

"Aos assediadores, o rigor da lei. E o repúdio público. A luta das mulheres por igualdade é uma luta de todos nós. É uma questão de toda sociedade, muito além das disputas partidárias, crenças ou ideologias", escreveu no Twitter.

O apresentador compartilhou uma publicação de Isa Penna afirmando ter certeza de que Huck não gostaria de ter seu nome associado a um caso de assédio.