Após ser forçado a instalar CPI da Pandemia, Pacheco se reúne com ministro da Saúde

Julia Lindner
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA - Dois dias após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que obriga o Senado a instalar a CPI da Pandemia, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), se reuniu neste sábado com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para tratar do cronograma de vacinação contra a Covid-19 no país. Depois do encontro, Pacheco gravou um vídeo no qual pregou "união, pacificação e diálogo permanente com as soluções efetivas para o problema maior dos brasileiros, que é a pandemia".

Na reunião, que ocorreu na residência oficial da Presidência, também estava presente o senador Confúcio Moura (MDB-RO), que preside a comissão temporária de acompanhamento das ações contra a pandemia do novo coronavírus.

- Esse cronograma de trabalho de maneira coordenada, inteligente, colaborativa entre o Congresso Nacional e o Ministério da Saúde é que nos fará sair desse momento crítico que estamos vivendo. É muito importante que nós não perdemos o foco, nós mantermos a união, pacificação e o diálogo permanente com as soluções efetivas para o problema maior dos brasileiros, que é a pandemia - disse Pacheco na gravação.

Ele afirmou, ainda, que a conversa serviu para tratar da possibilidade de antecipação de fornecimento de doses da vacina contra a Covid-19, além da conversão de parques industriais de vacinas para animais para a produção de imunizantes, a quebra de patentes e o fornecimento de insumos, como oxigênio e medicamentos, para uso em Unidades de Terapia Intensivas (UTIs).

Na última quinta-feira, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a instalação da CPI da Covid-19 no Senado. A oposição conseguiu as assinaturas necessárias para que a comissão funcionasse, mas Rodrigo Pacheco vinha resistindo em instalá-la. O objetivo da CPI é investigar se o governo Jair Bolsonaro cometeu omissões no combate à pandemia do novo coronavírus.

O presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, marcou para a próxima quarta-feira o julgamento sobre a criação da CPI. O julgamento será por videoconferência, em razão da pandemia de Covid-19, quando os ministros poderão debater entre si.