Após ser liberada para voltar aos estádios, organizada do Vasco recebe aviso de comunidade vizinha ao clube

A faixa nos arredores de São Januário mandou o recado: a organizada do Vasco que, depois de nove anos, foi novamente autorizada a frequentar estádios, não é bem vinda na Barreira do Vasco, nome da comunidade que fica bem ao lado do estádio cruz-maltino.

A mensagem foi dada nesta quinta-feira, quando o Vasco enfrentará o Sampaio Corrêa em casa. Uma vitória dará o acesso à Série A ao time com uma rodada de antecedência.

A organizada a quem a faixa foi direcionada pode retornar à Colina no jogo contra o Criciúma, sábado. Foram registrados focos de confusão entre integrantes da torcida dentro de São Januário e também no lado de fora do estádio. Bem em frente à comunidade.

Relatos do dia dão conta de que os integrantes da facção criminosa que opera na Barreira do Vasco deram tiros para o alto para dispersar os torcedores envolvidos na confusão. O quebra-quebra prejudica o comércio da comunidade que fica voltado para São Januário, do outro lado da calçada.

Depois da confusão, o policiamento será reforçado na partida desta quinta-feira. O Ministério Público, que autorizou o retorno da organizada, também estará em São Januário para acompanhar o comportamento da torcida.

Como punição pelas brigas na rodada passada, o Batalhão Especial de Policiamento em Estádios (BEPE) proibiu a organizada a levar materiais para o jogo desta quinta-feira, como bandeiras e instrumentos.