Após show na praia de Ipanema, moradores reclamam de desmontagem de palco

Trabalho de desmontagem do palco Verão Tim

RIO — No último domingo, uma multidão marcou presença na Praia de Ipanema, na altura do posto 10, na Zona Sul, para acompanhar o show da cantora Iza, que fechou a programação do evento Verão Tim. Quatro dias depois, a estrutura do palco ainda está sendo desmontada. Segundo a produtora responsável pelo evento, Novo Traço, o trabalho está dentro do cronograma previsto no contrato. A permanência do material na areia, porém, desagradou moradores.

O presidente da Associação de Moradores e Amigos de Ipanema (AMAI) Carlos Monjardim, conta que recebeu reclamações sobre a desmontagem do palco e ressalta que o trabalho corrobora a polêmica sobre a realização do evento, que ocorreu mesmo sem acordo com moradores.

— Muitos consideraram que a desmontagem foi demorada, e que o material não deveria ficar espalhado na areia até ser removido. Nesse quesito, acho faltou fiscalização da Prefeitura, que deveria determinar melhor como essa tarefa seria realizada — ressaltou Monjardim — Essa questão é apenas mais um ponto para corroborar nossas reclamações sobre a realização desses eventos no bairro. Ipanema não comporta grande eventos. No domingo, havia pelo menos 150 mil pessoas no show da Iza, enquanto moradores não

A produtora Novo Traço, responsável pela organização do Verão Tim aponta que cumpriu com todas as determinações para a realização do evento e que o prazo para desmontar o palco vai até às 14h desta quinta-feira. Nesta manhã, uma equipe responsável pela tarefa trabalhava no local.

Na semana passada, o secretário municipal de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, Felipe Michel, confirmou a realização da festa alegando que a Prefeitura chegou a um acordo com os moradores da região, o que foi negado pelos mesmos.

— Na reunião que fizemos sobre o assunto, o secretário nos prometeu que o show seria transferido para a Barra da Tijuca, mas voltou atrás depois e ainda disse que houve um acordo, o que não aconteceu. Ao contrário, apontamos todos os transtornos que seriam causados, e mesmo assim mantiveram a festa — contou Monjardim.