Após sobreviver à Covid, ogan de 101 anos, o mais antigo do Brasil, é vacinado em Nova Iguaçu

Citina Cruz
·3 minuto de leitura
Cléber Júnior / Agência O Globo

RIO — Dois meses após sobreviver à Covid, o ogan Luiz Ângelo da Silva, o Bangbala, foi imunizado contra doença. Aos 101 anos, Bangbala é o ogan vivo mais antigo do Brasil, recebeu a dose da CoronaVac na manha desta segunda-feira, no Centro Olímpico de Nova Iguaçu, no Centro. Casada com Bangbala há quase duas décadas, Maria Eni Souza Moreira, de 57 anos, ficou emocionada ao ver o marido sendo imunizado.

— Pegamos Covid no fim de novembro. Ele teve 50% do pulmão tomado. Eu dizia para ele que era só resfriado. Foram seis dias de febre. No quarto dia de febre alta, ele não abria nem os olhos. Chamei o Samu. Queriam removê-lo, mas ele me pediu com os olhos cheios de lágrimas para não ficar internado. Eu nao autorizei a internação. Exclamei muito a Xangô, que é o orixá da Justiça, e ele me ouviu. Ficamos sendo medicados em casa — afirmou, emocionada, Maria Eni.

Após ser vacinado, Bangbala disse que já está se preparando para a segunda dose:

— Foi ótimo. Se tiver que tomar outra, vou tomar. Depois da doença, eu já estava mais aliviado. Já sinto até o paladar.

Em Nova Iguaçu, a vacinação de idosos com mais de 80 anos começou nesta segunda-feira. Cada grupo será atendido em uma semana. Até sexta-feira, serão imunizadas pessoas com 95 anos ou mais. Na semana seguinte, de 8 a 12 de fevereiro, será a vez dos idosos com idade de 90 a 94 anos. Na terceira semana, do dia 15 ao 19, serão vacinados os que têm de 85 e 89 anos. A última semana de fevereiro será para quem tem idade de 80 a 84 anos. O atendimento será das 8h30 às 16h, e o idoso deverá apresentar carteira de identidade, CPF e cartão SUS.

A aposentada Claudete Cabral, de 56 anos, também se emocionou ao ver o pai, o aposentado Walter Cabral, de 97 anos, receber a dose da vacina.

— Estamos muito felizes com essa oportunidade de vida para ele. Estou muito emocionada. Estava com muito medo, principalmente por ele — contou..

Seu Walter também comemorou, após ser imunizado:

— Estou felicíssimo. Essa doença não é brincadeira, mas essa vacina vai levantar muita gente.

No total, oito pontos de vacinação estão disponíveis para o público-alvo, entre eles o Centro Olímpico, onde o atendimento é feito no sistema drive thru — sem que o idoso necessite desembarcar do veículo— e o Espaço Municipal da Terceira Idade (ESMUTI), ambos exclusivos para o atendimento aos idosos. Haverá vacinação também nas Unidades Básicas de Saúde de Paraíso, Vila de Cava e Austin, na Policlínica de Miguel Couto e nas Clínicas da Família Odiceia Morais, no Centro, e Emilia Gomes, em Comendador Soares, onde profissionais da saúde com 60 anos ou mais serão imunizados também a partir de segunda-feira.

O secretário municipal de Saúde de Nova Iguaçu, Manoel Barreto, disse que pretende vacinar os idosos acima de 60 anos na cidade até o fim de março:

— O SUS aqui tem experiência com imunização. Aqui em Nova Iguaçu, já chegamos a vacinar 40 mil pessoas em um dia no momento da febre amarela. Recebendo as doses necessárias, a gente está organizado para imunizar todo o público de 60 anos. Hoje, a gente está fazendo nesse modelo escalonado por uma escassez de vacina, iniciando pelo público mais vulnerável, profissionais da linha de frente.

A vacinação para os profissionais da saúde continua no município. A partir desta segunda-feira, serão priorizados aqueles com 60 anos ou mais. O atendimento para este público acontece até quinta-feira, dia 4, das 8h30 às 16h, em seis unidades de saúde.

Poderão ser vacinados médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, médicos veterinários, técnicos de laboratório, técnicos e auxiliares de enfermagem, técnicos de radiologia, técnicos de higiene bucal. Para isso, os profissionais precisarão apresentar a carteira de seus conselhos dentro da validade.