Após temporal da madrugada, São Paulo terá mais chuva nesta segunda-feira

SÃO PAULO, SP, 10.02.2020 - CHUVA-SP - Alagamento causado pela chuva na Vila Guilherme, bairro na zona norte de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (10). (Foto: Ariadne Barroso/Photo Press/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após as fortes chuvas que atingiram São Paulo desde a noite de domingo (9), a previsão para esta segunda-feira (10) é de mais chuvas com possibilidade de tempestade e alagamentos durante a manhã. 

A situação levou o porta-voz do Corpo de Bombeiros, capitão Marcos Palumbo, a pedir para as pessoas que podem trabalhar de casa evitarem sair nesta manhã. 

O secretário estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, fez a mesma recomendação. "Pedimos para que as pessoas fiquem em casa, não é o momento para deslocamentos", afirmou em entrevista ao Bom Dia São Paulo, da TV Globo.

De acordo com o Penido, a chuva na madrugada de domingo e na manhã desta segunda excedeu o limite do sistema de drenagem da capital.

"Num período curto de três horas, choveu 50% do que era esperado para todo o mês de fevereiro. O sistema funcionou até o limite, mas a chuva veio acima da capacidade. Temos de cuidar das emergências para evitar danos maiores", afirmou.

No início da manhã, a Prefeitura de São Paulo anunciou que o rodízio de veículos está suspenso. Escolas particulares da cidade também suspenderam as aulas.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, entre a meia-noite e 9h, a corporação foi acionada para atender 320 ocorrências de enchentes e 47 quedas de árvores.

A marginal Tietê foi interditada devido a alagamento na altura da ponte da Casa Verde, no sentido Cebolão, por volta das 5h30. Na marginal Pinheiros também houve interdições, com trechos totalmente alagados e veículos parcialmente cobertos pela água. 

TRÂNSITO

Na avenida Rebouças, uma árvore caiu e bloqueou totalmente a pista na altura do Hospital das Clínicas, sentido bairro, em direção à avenida Faria Lima. Carros e ônibus precisaram fazer retorno e andar um trecho na contramão. 

Na avenida Roberto Marinho, ao menos um carro chegou a ficar ilhado por causa da enchente.

A avenida dos Bandeirantes, sentido rodovia dos Imigrantes, na altura da rua Conde de Porto Alegre, também inundou. 

O trânsito ficou parado na rodovia Castello Branco, sentido capital.

As regiões das marginais Pinheiros e Tietê, do Butantã, do Ipiranga, do Itaim Paulista e de Perus estão em estado de alerta devido a transbordamentos de rios e córregos. 

Por motivo de alagamento, os trens da CPTM não circulam entre as estações Comandante Sampaio e Carapicuíba, na Linha 8 - Diamante; e também entre as estações Osasco e Santo Amaro, Linha 9 - Esmeralda. As estações ficaram lotadas de passageiros à espera de uma solução. 

A conexão da linha 4-Amarela do metrô com a linha 9-Esmeralda da CPTM foi interditada. Pelo sistema de alto-falantes do metrô, funcionários informavam os passageiros da linha 4-Amarela que a baldeação para a linha 9-Esmeralda não poderia ser feita a partir da estação Pinheiros por conta de alagamento e que não havia previsão de retorno do serviço. 

Segundo a EMTU, a operação dos ônibus metropolitanos está comprometida em diversas regiões, com dificuldade de circulação dos veículos e atrasos por causa dos alagamentos nas vias.

Todas as linhas do metrô funcionam normalmente, sem ocorrências.