Após troca de comando, presidente do conselho de administração do BB renuncia

Marcello Corrêa
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA - Em um movimento para marcar posição contra a troca de comando no Banco do Brasil, o presidente do conselho da instituição financeira, Hélio Magalhães, apresentou nesta quinta-feira sua carta de renúncia ao cargo. José Monforte, conselheiro independente, também decidiu sair.

A saída, já esperada no mercado, ocorreu após o anúncio de que o presidente do BB, André Brandão, seria substituído por Fausto Ribeiro.

A mudança ocorreu após atritos entre Brandão e o presidente Jair Bolsonaro, insatisfeito com um plano de reestruturação na estatal que envolve o fechamento de agências.

Na carta de renúncia, Magalhães afirmou que deixou o cargo por causa do "reiterado descaso" do governo com a instituição. Sem citar diretamente a Petrobras, alvo recente de ingerência por parte de Bolsonaro, ele também citou que o mesmo ocorria com "outras importantes estatais de capital aberto".

"(Comunico minha renúncia) em razão do reiterado descaso com que o acionista majoritário vem tratando não apenas esta prestigiada instituição, mas também outras importantes estatais de capital aberto e de seus principais administradores", diz trecho do documento.

O executivo também criticou o que chamou de "tentativas de desrespeito à governança corporativa" ao falar das interferências na execução do plano de reestruturação do banco e criticou a escolha do sucessor de Brandão.

Magalhães e Monforte — nomes mais alinhados com o mercado — já haviam feito pelo menos três manifestações contrárias às alterações no comando do banco. Duas delas foram atos de desagravo a Brandão e uma, mais recente, contrária à indicação de Ribeiro para o cargo.

A saída anunciada nesta quinta-feira antecipou um movimento que já estava previsto. O conselho de administração do BB será renovado no dia 28 de abril e os nomes dos dois conselheiros não constam da lista de indicados pelo governo para ocupar as posições no colegiado.