Após usar gráficos de banco de imagem, #BolsonaroCharlatão é um dos assuntos mais comentados no Twitter

Filipe Vidon
·4 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro discursa na apresentação de vermífugo contra Covid-19
Presidente Jair Bolsonaro discursa na apresentação de vermífugo contra Covid-19

O governo federal fez uma apresentação nesta segunda-feira e afirmou ter comprovado que o vermífugo nitazoxanida reduz a carga viral de pacientes infectados com o novo coronavírus, nos primeiros dias de sintomas. Para ilustrar a "comprovação" da eficácia da nitazoxanida, foi exibido um gráfico de barras sem legenda, que depois descobriu-se ser genérico, de um banco de imagens. Após a revelação, a hashtag #BolsonaroCharlatão permaneceu entre os assuntos mais comentados do rede social, entre memes e reclamações.

Logo após o anúncio, feito durante evento no Palácio do Planalto, com presença do presidente Jair Bolsonaro e de Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, o jornalista Samuel Pancher em parceria com Leonardo Lopes publicaram os vídeos lado a lado, mostrando que os dados não têm relação alguma com a pesquisa. Na apresentação, o gráfico genérico ainda estava acompanhado de frases como "a nitazoxanida é eficaz" e que está "comprovado cientificamente" que o medicamento "reduz a carga viral na fase precoce" da Covid-19.

O gráfico exibido pode ser encontrado facilmente no banco de imagens Shutterstock, muito usado por agências de publicidade. A peça pode ser ser adquirida para uso em alta resolução por US$ 75,00. Após a polêmica, Pontes fez uma série de publicações na rede social tentando justificar a ação do governo. Segundo ele, "o gráfico da apresentação de hoje era meramente ilustrativo" e "os gráficos e números da pesquisa serão apresentados depois do artigo publicado".

Nas postagens o ministro ainda garantiu que as informações são baseadas em números e cálculos estatísticos que já estão com os pesquisadores responsáveis. Segundo ele, as informações sensíveis que sustentam a pesquisa precisam ser inéditas para a publicação do artigo em revistas científicas. "Enquanto isso, se contrairem covid, lembrem-se da conclusão dos estudos apresentada hoje. Isso é o importante", completou.

A pesquisa apresentada foi coordenada pela médica Patríca Rocco, professora titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro da Academia Nacional de Medicina e da Academia Brasileira de Ciências. Os testes em humanos foram anunciados por Marcos Pontes em abril, após testes em laboratórios apresentarem uma eficácia de 94%. Na época, o ministro afirmou que os resultados seriam apresentados em quatro semanas. Nesta segunda-feira, Pontes admitiu que sua previsão incial foi otimista demais.

— Nós temos um medicamento, comprovado cientificamente, que é capaz de reduzir a carga viral. O que significa isso? Na prática, significa que reduz o contágio das pessoas que tomam o medicamento. E mais: diminui a probabilidade dessas pessoa aumentar os sintomas, ir para o hospital e falecer — afirmou Pontes, durante a cerimônia.

Os testes foram realizados em sete centros de saúde, em São Paulo, Minas Gerais e Distrito Federal e duraram entre junho e agosto. Os voluntários só podiam estar com até três dias de sintomas da Covid-19. Eles tomaram doses de 500mg de nitazoxanida três vezes cada dia, durante cinco dias.

Outro estudo, com pacientes que apresentam sintomas mais graves, também está sendo realizado. Segundo Patrícia Rocco, a expectativa é que o resultado seja apresentado nas próximas semanas.

O gráfico genérico que assumiu o posto de protagonista da apresentação desta segunda-feira não é o primeiro foco de polêmica envolvendo o governo federal e bancos de imagem. Em julho, a Secretaria de Comunicação lançou uma campanha de propaganda de Jair Bolsonaro em que são usadas fotos de bancos de imagens pagos, como se fossem de brasileiros que estivessem trocando áudios com o presidente.

Num dos vídeos, uma suposta "Dona Maria Eulina", que seria do Ceará, pergunta a Bolsonaro sobre o estágio das obras da transposição do São Francisco.

Entretanto, a imagem consta no banco de fotos Dreams Time, disponível no serviço de imagens com a busca "Happy old woman smiling" ("idosa feliz sorrindo").

Veja íntegra da nota do MCTI:

"O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) esclarece que o gráfico usado no vídeo apresentado no evento de anúncio dos resultados dos ensaios clínicos com a nitazoxanida não faz parte dos dados do estudo e aparece apenas de forma ilustrativa.

O resultado qualitativo apresentado hoje é, obviamente, baseado em dados e estudos completos de posse dos pesquisadores responsáveis.

No momento, o MCTI e os coordenadores do estudo não podem divulgar ainda os números e cálculos do estudo para preservar seu ineditismo, já que ele foi submetido a uma revista internacional, o que limita a publicação.

Entretanto, a Covid-19 continua a avançar no Brasil e, no papel de médicos e cientistas, foi feita a decisão de não omitir o resultado qualitativo de um estudo de extrema importância, que pode ajudar a salvar vidas enquanto aguardamos a vacina.

Depois da publicação do artigo científico, faremos uma apresentação técnica para os interessados, mostrando todos os números, cálculos, equações, métodos etc."