Apagão no Amapá só acabará em dez dias. Moradores sofrem com falta de água

Paula Ferreira e Julia Lindner
·2 minuto de leitura

Praticamente todo o estado ficou sem energia porque essa é a única subestação de energia do Amapá. As cidades que permanecem com energia são atendidas por sistemas próprios e isolados da rede geral.

Será necessário realizar o tratamento do óleo do transformador que foi menos danificado e, portanto, está sendo consertado para fornecer até 70% da carga necessária para atender o estado. A expectativa é que isso ocorra na noite desta sexta-feira.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou nesta sexta-feira que o 'apagão' é uma "fatalidade" decorrente de um "acidente natural". A declaração foi feita após reunião do presidente do Senado com o ministro Bento Albuquerque.

— Temos uma boa perspectiva do ponto de vista técnico, naturalmente a dificuldade é muito grande porque você tem um estado da federação que está praticamente 60 horas sem energia elétrica, ou com pouca energia em algumas regiões, mas, enfim, foi uma fatalidade, um acidente natural — afirmou Alcolumbre.

Em seguida, o presidente do Senado ponderou que é "lógico que em algum momento as autoridades vão averiguar, investigar os responsáveis, que com certeza serão punidos lá na frente".

— Foi uma fatalidade e agora estamos buscando solução para o problema, quero exaltar o papel do ministério (de Minas e Energia) como solucionador do problema (...) Todos os atores envolvidos estão dedicados e determinados e não estão medindo esforços para o Amapá, para essa calamidade que ocorreu no Amapá - declarou Alcolumbre.

Na noite de quinta-feira, Bento Albuquerque, anunciou a abertura de investigação para apurar as causas e consequências do incêndio. A investigação será iniciada pelo ONS com prazo inicial de 30 dias.

— O ONS, cumprindo protocolo, abriu investigação para ser apresentada para a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a quem caberá a análise final e encaminhar ao Ministério de Minas e Energia e também para o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico — declarou o ministro, em coletiva durante a noite em Brasília.

* Com informações do G1