Apesar de goleada, demissão de Roger Machado não é especulada no Fluminense

·1 minuto de leitura

Apesar da pressão dos torcedores e dos resultados ruins recentes — como a goleada sofrida diante do Athletico, por 4 a 1 — , Roger Machado não corre risco de demissão no Fluminense. Ao menos, por enquanto. Isso porque o treinador conta com a confiança do departamento de futebol e seguirá no cargo. Porém, o Fla-Flu do próximo domingo, às 16h (de Brasília), se torna decisivo para diminuir a pressão existente.

Existe o entendimento de que, apesar dos tropeços recentes, o trabalho de Roger está dando resultados. Ele conseguiu ter o melhor início de ano de um técnico do Fluminense no século e, junto a Marcão, construiu a terceira maior invencibilidade tricolor na história dos Campeonatos Brasileiros.

Também pesa a favor de Roger a classificação como líder do grupo na Libertadores, que também tinha o River Plate, e a proximidade do duelo diante do Cerro Porteño, pelas oitavas de final, no próximo dia 13.

É de tradição do presidente do Mário Bittencourt optar com segurar técnicos no cargo o máximo de tempo possível. Foi assim com Fernando Diniz, com Odair Herlman e a situação se repete com Roger Machado. A diretoria não costuma se guiar por reclamações de redes sociais na hora de contratar ou demitir comandantes e só o faz quando o clima se torna insustentável — como com Oswaldo de Oliveira, por exemplo.

Dito isso, o clássico com o Flamengo se torna decisivo. Uma derrota aumenta a crise, uma goleada pode deixar a pressão à beira do colapso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos