Apesar de proibida, boca de urna é registrada em Niterói e Belford Roxo

Giovanni Mourão e Marcos Nunes
·2 minuto de leitura
Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

90504629_CI Rio de Janeiro RJ 14-11-2020 Eleições 2020 Santinhos de candidatos jogados na Rua Postal.jpg

Foto: Cléber Júnior / Agência O Globo

A boca de urna é intensa em Niterói e Bolford Roxo, dois municípios do Grande Rio. As ruas onde há locais de votação foram tomadas por santinhos de candidatos jogados no chão. Em alguns locais, mal era possível ver o asfalto. Em dia de eleição, é proibido fazer qualquer tipo de propaganda eleitoral.

Alguns dos mais movimentados locais de votação de Niterói viraram forte ponto de boca de urna na manhã deste domingo. Aglomerados e balançando bandeiras nos arredores da Universidade Anhanguera, na Avenida Visconde de Rio Branco (Centro), mais de uma dezena de cabos eleitorais de diferentes candidatos a vereador distribuíam santinhos, tentando convencer os eleitores que transitavam pelo local.

Numa das abordagens, por volta de 8h45, uma das "militantes", sem máscara, pedia a uma idosa que ela votasse em seu candidato: "Ele está ajudando a gente, os camelôs", suplicava. Em meio a centenas de santinhos espalhados pelo chão, um homem, ao perceber a presença da reportagem, gritou: "Está todo mundo muito junto, dispersa, dispersa".

Na Rua Fróes da Cruz, na lateral dr um local de votação, havia um carro da Polícia Militar que nada fez para coibir as ilegalidades. Uma viatura da Polícia Civil passou em frente ao local e buzinou na tentativa de dispersar os cabos eleitorais. Porém, assim que foi embora, a prática vedada pela legislação foi retomada.

O mesmo aconteceu em Belford Roxo, na Baixada Fluminense. A menos de 200 metros de alguns locais de votação, cabos eleitorais podiam ser vistos agindo livremente, abordando eleitores e distribuindo panfletos. O maior exemplo da desordem ocorreu, no Bairro Piam.

A Escola Estadual Presidente Kennedy, localizada da Rua Posta, sexto maior local de concentração de eleitores do Estado, onde votam 11.037 pessoas, estava com portões de entrada cobertos por fotos de candidatos. O local recebe eleitores da 154ª Zona Eleitoral. A sujeira também estava presente no pátio que dá acesso às seções, onde os santinhos se amontoavam no chão formando uma espécie de tapete com propaganda política.

— Isso aqui está uma imundice — reclamou Joel de Souza, de 60 anos, que votou numa das seções da escola estadual.

Não havia filas extensas nas seções, mas por conta dos corredores estreitos da escola, alguns eleitores acabavam se aglomerando enquanto aguardam a vez de votar. Apesar da recomendação de não levar crianças, alguns foram às urnas acompanhados dos filhos. A reportagem também constatou distribuição de santinhos e rua sujas em no entorno da Avenida Joaquim da Costa Lima, que liga o centro do município ao bairro do Lote XV. De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral, há na cidade um total de 325.796 eleitores.