Apesar de tensão com Zambelli armada em bar, restaurantes relatam faturamento semelhante ao 1º turno

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Apesar da tensão provocada pela entrada da deputada Carla Zambelli (PL) com sua arma em um bar de São Paulo, no sábado (29), o setor de bares e restaurantes afirma que o movimento da clientela no domingo (30) foi semelhante ao fluxo do 1º turno. Havia algum receio de que o clima de alerta espantasse o consumidor mais cauteloso, mas a avaliação é que o resultado foi satisfatório.

Segundo Paulo Solmucci, presidente da Abrasel (associação que representa o setor), alguns donos de restaurantes em Recife decidiram fechar mais cedo para evitar confusão.

Até as 17h deste domingo, quando o horário de votação terminou, os estabelecimentos relatavam à entidade um clima pacífico entre eleitores dos dois candidatos à Presidência.

"Isso pode até ser um alerta de que as coisas estão tensas para qualquer posicionamento hoje. Talvez as pessoas até se omitam. Mal comparando, eu penso no 7 a 1. Quando o Brasil perdeu, os alemães não provocaram. Acho que quem ganhar vai ser muito cauteloso em não tripudiar", afirma Solmucci.

Ele diz ter a sensação de que as pessoas estarão mais contidas ou buscando evitar problemas nesta eleição, porque já pagaram conta alta por amizades perdidas e divisões em família nos últimos anos.