Aplicativo da empresa Didi é suspenso na China por problemas sobre coleta de dados

·1 minuto de leitura

PEQUIM (Reuters) - O órgão regulador da internet na China disse neste domingo ter ordenado que as lojas de aplicativos de smartphones parem de oferecer o aplicativo da empresa de transporte privado Didi Global, depois de descobrir que a gigante da busca por carona coletou ilegalmente dados pessoais dos usuários.

A Administração do Ciberespaço da China (CAC, na sigla em inglês) disse que ordenou que a Didi faça alterações para cumprir as regras chinesas de proteção de dados, uma medida que ocorre dias depois que a empresa começou a negociar na Bolsa de Valores de Nova York após levantar 4,4 bilhões de dólares em uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

O CAC não especificou a natureza da violação da Didi em um comunicado em seu feed de mídia social.

A Didi respondeu dizendo que havia parado de registrar novos usuários e removeria seu aplicativo das lojas online. A companhia informou ainda que faria mudanças para cumprir as regras e proteger os direitos dos usuários.

A ação do CAC ocorre em meio à contínua repressão regulatória da China aos gigantes da tecnologia local por questões antitruste e de segurança de dados.

(Por Yilei Sun, Tony Munroe e Scott Murdoch)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos