Aplicativo da família Bolsonaro pode coletar dados do usuário

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Nas práticas de privacidade da Bolsonaro TV, diz-se que pode haver o gerenciamento de dados. Foto: Getty Images.
Nas práticas de privacidade da Bolsonaro TV, diz-se que pode haver o gerenciamento de dados. Foto: Getty Images.
  • A Bolsonaro TV, aplicativo que divulga postagens da família de políticos, foi lançada no sábado (6);

  • Na política de privacidade, informada na loja digital, demonstra-se que o app pode ter acesso aos dados do usuário;

  • Rogério Cupti, desenvolvedor do aplicativo, afirma que o aplicativo não coleta as informações.

Carlos Bolsonaro (Republicanos), vereador e filho de Jair Bolsonaro (sem partido), Presidente da República, lançou o aplicativo Bolsonaro TV neste sábado (6), com o intuito de reunir as postagens do pai e irmãos em diversas mídias sociais.

Na App Store, serviço de distribuição de aplicativos da Apple, no qual se pode baixar o app por iPhone, diz-se que o mesmo não coleta dados do usuário. Contudo, de acordo com a política de privacidade do aplicativo, fica claro que a Bolsonaro TV tem acesso a dados técnicos presentes nos aparelhos.

Leia também:

Por meio da declaração legal do app, Rogério Cupti, desenvolvedor, afirma coletar “especificações, configurações versões de sistema operacional, tipo de conexão à internet e afins.”

Contudo, à Apple, Cupti divulgou uma informação diferente. No texto da loja digital, em “Privacidade do app”, o desenvolvedor indica que as práticas de privacidade da Bolsonaro TV podem incluir o gerenciamento de dados. Em seguida, a empresa assegura: "Dados não coletados. O desenvolvedor não coleta nenhum dado.”

Segundo Cupti, a Apple haveria checado que não há coleta. Contudo, não é o que fica evidente nas informações de privacidade entregues pelo desenvolvedor.

Para Carlos Affonso Souza, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS Rio), o problema está no fato de a informação não ser explícita na App Store, já que a prática de coleta de dados é comum no mercado e contribui para a manutenção de um aplicativo.

Segundo Cupti, a forma como a Apple conduz as informações é problemática. O desenvolvedor diz que o aplicativo não coleta dados, já que não há cadastro de usuário, cookies ou qualquer tipo de retorno.

As informações são da coluna de Guilherme Amado, do portal Metrópoles.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos