Aplicativo Google Translate passa pela censura na China

Aplicativo Google translate em um celular da China

O gigante da internet Google anunciou nesta quarta-feira a introdução na China do seu aplicativo de tradução, Google Translate, para telefones celulares, até então bloqueado por Pequim, enquanto seu motor de buscas e o Gmail permanecem inacessíveis.

"Introduzimos na China a versão 5.8 do aplicativo Google Translate" para os sistemas operativos Android e iOS, equipada com funcionalidades melhor adaptadas aos usuários chineses, anunciou o grupo californiano em seu blog.

Negando-se a se submeter às ordens de censura do regime do Partido Comunista Chinês, o grupo americano se retirou da China em 2010, e seu motor de buscas foi bloqueado. O Gmail, assim como a maioria dos seus serviços, continua sendo inacessível.

Da mesma forma, o aplicativo Google Translate era até agora estritamente proibido nos smartphones chineses.

Contactado pela AFP, um porta-voz do Google se negou a fazer comentários sobre esta mudança repentina.

"O Google Translate já estava disponível há oito anos na China em versão web", ou seja, a partir de um computador e através de um navegador, informou o porta-voz.

Android, o sistema operativo para smartphones desenvolvido pelo Google, é muito popular na China, mas sua loja de aplicativos móveis Google Play está bloqueada.

O Google, que conta com centenas de empregados na China continental e continua vendendo espaços publicitários a empresas chinesas, parece ansioso para lançar no país sua loja Google Play, mesmo que tenha que restringir sua oferta para se adaptar às regras de Pequim.