Aplicativo que aciona contatos de emergência e Polícia Militar começa a funcionar no Rio

RIO — O aplicativo "Linha Direta", que permite acionar contatos de emergência e a Polícia Militar em situações de perigo, começa a funcionar, nesta quinta-feira, no bairro de Irajá, na Zona Norte do Rio, e em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O serviço deve ser expandido a outros batalhões posteriormente.

A parceria com a corporação oferece uma maneira de pedir socorro de forma compartilhada, por meio do cadastro de amigos e parentes selecionados para receberem os alertas.

Para manusear o app, o usuário que estiver em risco deve apertar um botão e escolher a opção de enviar a denúncia para a PM. Imediatamente, começará a ser gravado um áudio de 15 segundos que será enviado, junto com a localização da vítima, para a polícia e para os contatos previamente cadastrados.

"A ideia do Linha Direta é tornar a ação policial muito mais rápida e assertiva, além de contribuir com a diminuição do número de trotes, já que o contato do usuário fica registrado. Neste momento, o aplicativo está em operação no 15º BPM (Duque de Caxias) e 41º BPM (Irajá e região), funcionando como o 190 digital, na palma da sua mão", disse o coronel Mauro Fliess, porta-voz da PM, em um comunicado.

A plataforma, criada por Leonardo Gandelman, está disponível para download nos sistemas operacionais Android e iOS. O procedimento não substitui o canal 190, que continua funcionando normalmente.

Saiba como utilizar o app: