Aplicativo quer facilitar e ampliar investimentos em ouro

SÃO PAULO – A ideia de comprar ouro é muitas vezes associada à compra de joias e a um investimento complexo, antigo e pouco comum. Isso ocorre, pois o Brasil não possui uma cultura de investimentos neste segmento, ao contrário de países como Rússia e Índia que já estão alocando suas economias no metal.

Com o objetivo de popularizar este investimento no país, a Ourominas, empresa que atua no segmento de ouro e câmbio, criou um aplicativo, o StarGold, para facilitar, agilizar e fornecer maior liquidez ao investimento em ouro. O app estará disponível para download a partir do dia 4 de novembro.

Ao contrário do processo padrão, que consiste na compra do metal através da BM&F Bovespa e leva em torno de três dias entre cadastro e finalização da transação, o aplicativo promete simplificar todas as etapas, permitindo que o investidor centralize diversos serviços em poucos toques. Hoje, o banco leva dois dias úteis para gerar o boleto, mas a expectativa é de que até janeiro, o processamento do boleto bancário leve no máximo 30 minutos para ser concluído. Se o investidor já tiver saldo em sua conta StarGold, porém, ele pode comprar o metal a qualquer momento.

Dentre os benefícios do StarGold, a empresa aponta a possibilidade de o cliente adquirir pequenas quantidades de ouro, a partir de um grama. Além disso, não é preciso transportar ou armazenar o metal, como ocorre hoje em dia nas compras de balcão, visto que há a possibilidade de manter o produto físico sob custódia para garantir maior segurança. Se o investidor realizar transações a cada dois meses, não há cobrança por este serviço. Caso contrário, será cobrada uma taxa de 0,2% ao mês pela custódia dos valores.

Outra funcionalidade é a disponibilidade de um cartão de débito bandeira VISA atrelado à conta StarGold. O objetivo é permitir que o dinheiro obtido com a venda do ouro possa ser sacado em qualquer caixa eletrônico, utilizado em demais compras dentro do aplicativo ou então, na função débito. Com conta totalmente digital, o aplicativo possui um sistema antifraude e é protegido por senha.

Apesar de não cobrar taxa de corretagem, tanto a compra como a venda do metal possuem uma taxa adicional, como nas casas de câmbio. Ao comprar o metal pela Ourominas, o cliente pagará 2% a mais na compra e venderá o produto por um preço 3% inferior às negociações em comparação às feitas na Bolsa. 

Para resolver o problema de baixa liquidez nacional, relacionado à dificuldade de encontrar compradores, a Ourominas oferece uma liquidez diária, ou seja, o investidor pode optar por vender as suas quantias a qualquer momento, já que a companhia garante a recompra. “Você não precisa esperar que a Bovespa encontre alguém para comprar o seu produto”, afirma Eduardo Riberto, um dos criadores do aplicativo.

Rone Tadeu, diretor de expansão de câmbio e novos negócios, afirma que o ouro é um dos investimentos mais sólidos do mercado e que valorizou 16% nos últimos 12 meses. “Quando o dólar se estabilizar, o produto vai voltar a se valorizar no mercado nacional - no mercado internacional já está em alta”, diz. “Eu vejo o ouro como um porto seguro, já que o ganho de valor é equiparado com o mercado”, completa.

A mesma opinião é compartilhada por Juarez Silva, cofundador e controlador da Ourominas, que afirma que o momento é uma grande oportunidade para investidores alocarem em ouro, visto que é em momentos de crise que o produto mais se valoriza: “A vantagem do ouro como aplicação é que se trata de um ativo de baixo risco, que tem lastro e alta liquidez. Daí o aumento da procura pelo metal registrado geralmente em tempos de crise”.