Apoiadores de Trump denunciam fraude nas eleições

Julia Benarrous
·3 minuto de leitura
Apoiadores de Trump protestam no Arizona e em outras cidades americanas em 7 de novembro de 2020
Apoiadores de Trump protestam no Arizona e em outras cidades americanas em 7 de novembro de 2020

Enquanto as ruas de muitas cidades americanas se enchem de comemorações pela vitória do democrata Joe Biden nas eleições, os apoiadores de Donald Trump se recusam a aceitar o resultado, denunciando fraude e uma conspiração para lhe tirar a presidência. 

Em cidades como Phoenix (Arizona), Filadélfia (Pensilvânia) e Atlanta (Geórgia), apoiadores do presidente republicano se reuniram sob o slogan #StopTheSteal (Pare o roubo), repetindo as palavras de Trump, que afirmou sem provas que Biden havia venceu de maneira fraudulenta. 

Muitos dos manifestantes usam bonés de Trump, cartazes e bandeiras americanas. Centenas de apoiadores se reuniram em frente à sede legislativa do Arizona, em Phoenix. 

"Acho que eles foram longe demais" ao dar o resultado, diz Donna McCollum, uma aposentada de 77 anos. 

"O Colégio Eleitoral é quem deve decidir e ainda não o fez. E há muita fraude nisso. O processo ou a recontagem tem que se repetir", diz. 

"Olhe para essas pessoas aqui. Não há como Biden vencer no Arizona", acrescenta. 

Dois meios de comunicação projetam a vitória de Biden naquele estado, mas outros foram mais cautelosos e relutam em apontá-lo como o vencedor desse estado-chave.

- "Zona zero da armadilha" -

Independentemente disso, seja qual for o resultado no Arizona, Biden já ganhou mais votos eleitorais do que o necessário para vencer a eleição, de acordo com a mídia dos EUA. 

Na Pensilvânia, cujos 20 votos do Colégio Eleitoral selaram a vitória do democrata neste sábado, os apoiadores de Trump também denunciam fraude. 

Cerca de 40 apoiadores do presidente protestam em frente a um centro de convenções onde a contagem dos votos ocorre na Filadélfia, a maior cidade do estado, ao som de canções de hard rock ou clássicos dos comícios de Trump, como "YMCA" ou "God Bless the USA". 

 "Este é o marco zero para a armadilha nesta eleição. Achei que era importante estar aqui", disse Steve Padgett, um vendedor de 57 anos. 

"Tenho fé que nosso presidente, Donald Trump, ganhou as eleições de forma justa", disse Sophia Rotunno, funcionária administrativa de 52 anos. "Mas os democratas não permitiram que as eleições fossem justas (...) Então, acho que isso deveria para os tribunais", acrescenta.

Em seus quase quatro anos à frente da Casa Branca, Trump conquistou o apoio fervoroso e leal de muitos cidadãos americanos com uma forma de fazer política nunca vista antes no país. 

No entanto, os relacionamentos de Trump com alguns de seus seguidores foram controversos, por exemplo, quando ele retuitou teorias da conspiração ou se recusou a condenar os supremacistas brancos. 

O contexto tenso em que se realizaram as eleições, após uma onda de protestos contra a violência policial e o racismo, suscitou temores de episódios de violência pós-eleitoral em algumas cidades. 

Mas esses temores foram infundados até agora, e muitos dos apoiadores de ambos os candidatos parecem ansiosos para manter a paz neste sábado.

- Protesto na Geórgia -

À tarde, os apoiadores de Biden em Atlanta saíram armados, o que é legal na Geórgia, atrapalhando um protesto pró-Trump, mas não houve confronto entre os lados opostos. 

É comum que os apoiadores de Trump apareçam armados em comícios, mas nenhuma arma foi vista entre aqueles que defendem o presidente em Atlanta. 

"Vamos ver quem vence no final. Se Biden vencer de forma justa e honesta, então seguirei a mídia", disse Huff Croxton, um homem de 51 anos, que foi apoiar Trump embrulhado em uma bandeira americana.

bur-mjs/ft/gma/cc