Apoiantes de Bolsonaro pedem anulação de eleições no Brasil

Apoiantes de Bolsonaro pedem anulação dos resultados das eleições presidenciais no Brasil. O Partido Liberal (PL) apresentou queixa no Tribunal Superior Eleitoral. Pede para que sejam invalidados os resultados das urnas eletrónicas de modelo mais antigo, porque as considera impossíveis de auditar.

Na base da queixa não existe qualquer prova de mau funcionamento destes aparelhos, apenas a indicação que nas máquinas novas, Bolsonaro recebeu uma percentagem maior de votos.

São 61% das 577.125 urnas de voto eletrónicas utilizadas nas eleições de Outubro, sobre as quais o PL diz que foram fabricadas entre 2009 e 2015 e "não podem ser auditadas", ao contrário do modelo mais moderno, fabricado em 2020.

Uma auditoria encomendada pelo PL assinalou que Bolsonaro recebeu o maior número de votos nas urnas de voto do modelo mais recente - 51,05% dos votos.

As urnas eleitorais foram inspecionadas e aprovadas por numerosos organismos oficiais, incluindo as Forças Armadas, que no relatório sobre as eleições não encontraram nenhuma prova de fraude.

Segundo os resultados oficiais já ratificados, Lula ganhou a segunda volta das eleições a 30 de Outubro com 50,9% dos votos.

Até agora, Bolsonaro ainda não reconheceu publicamente a derrota nem felicitou o rival, mas permitiu que a transição começasse com a equipa nomeada por Lula para o efeito.

Desde o dia seguinte às eleições, milhares de ativistas de extrema-direita têm estado acampados fora de dezenas de quartéis em várias cidades do país, exigindo um golpe de Estado para impedir a tomada de posse de Lula, mas até agora os militares têm ignorado completamente o movimento.