Herdeiro da Família Imperial, Dom Antônio está hospitalizado com coronavírus

Dimitrius Dantas

SÃO PAULO — Três descendentes da Família Imperial brasileira foram diagnosticados com Covid-19. O anúncio foi feito por Dom Bertrand de Orleáns e Bragança, um dos herdeiros da familia imperial, em mensagem publicada nas redes sociais nesta quarta-feira. Dom Antonio, que seria o terceiro da linha de sucessão caso a monarquia ainda fosse vigente no Brasil, está hospitalizado.

Os três que estão infectados, assim como Dom Bertrand, são trinetos de Dom Pedro II e bisnetos da Princesa Isabel. Dom Luiz Gastão, o mais velho dos irmãos, e o primeiro na linha de sucessão, não está infectado. Como Dom Luiz Gastão e Dom Bertrand não tiveram filhos, Dom Antonio seria o hipotético herdeiro da Família Imperial.

- Estamos vivendo a eclosão de uma das maiores epidemias da nossa história. No Brasil, essa epidemia está num crescendo e tende a contaminar um número muito grande de brasileiros. Inclusive atingiu a Família Imperial: o meu irmão, Antonio, que me segue na linha de sucessão, os meus irmãos Alberto e Francisco, todos eles já testaram e estão coronavírus - afirmou Dom Bertrand, que afirmou que apesar da internação de seu irmão, as notícias são "animadores".

A Família Imperial se divide em dois ramos, o de Vassouras e o de Petrópolis. Os integrantes do ramo de Vassouras são ativistas para a restauração da monarquia. O deputado federal Luiz Philippe de Orléans e Bragança (PSL-SP) é sobrinho de Dom Luiz.

Em 1993, durante plebiscito para a escolha da forma de governo, a Monarquia recebeu 13% dos votos e a República, 86%.

- Saibamos obedecer as normas que foram indicadas pelos órgãos de saúde: isolamento, prudência, remédios, não participar de aglomerações maiores - afirmou Dom Bertrand. Profundamente religioso, ele também recomendou orações e evitar o pânico: - Não ficar com a obsessão do coronavírus, pelo contrário. Com toda prudência e tranquilidade. Temos que agir com prudência, saber onde estar, o que fazer, quais são os remédios, quando consultar o médico. Saibamos confiar, mais do que nunca, na Divina Providencia.

Os descendentes da Família Imperial Brasileira são próximos do movimento conservador. Em outubro deste ano, Dom Bertrand foi recebido pelo encarregado de negócios da Embaixada do Brasil nos Estados Unidos, Nestor Forster. Nas redes sociais, a representação diplomática se referiu a ele como "Sua Alteza Imperial e Real", título revisto na Constituição de 1824, mas abandonado em 1891, na primeira Constituição republicana.

Em nota, a Embaixada afirmou que o tratamento nada tem relação com o direito público brasileiro, ou carrega qualquer sentido político, institucional ou jurídico.

"O tratamento não carrega sentido de reconhecimento de nenhum status político particular, e não é uma afirmação sobre um regime político, refletindo apenas a civilidade devida a um membro da família real que governou o Brasil. O Brasil instaurou a República, mas a família dos descendentes de dom Pedro I continuou a existir. O tratamento é análogo àquele dado a famílias reais de Estados estrangeiros. O reconhecimento conferido por uma autoridade brasileira a um membro de uma família real estrangeira, por meio de um tratamento específico, não implica em nenhuma consequência, nem indica que aquela pessoa é súdita de determinado Estado”, afirmou a Embaixada.