Apontado como líder do motim no Ceará, ex-deputado federal Cabo Sabino é afastado da PM

Encapuzados. Policiais militares amotinados no 18º batalhão, no bairro de Antônio Bezerra, Zona Oeste de Fortaleza

RIO — A Controladoria Geral de Disciplina afastou o ex-deputado federal Cabo Sabino (Avante-CE) da Polícia Militar do Ceará por "incapacidade moral do mesmo de permanecer nos quadros" da segurança pública do estado. A informação foi publicada no Diário Oficial do estado desta sexta-feira. A decisão de afastamento afeta mais 167 policiais militares por participação no motim, que entra no seu sexto dia neste domingo.

Ex-deputado federal, presidente estadual do Avante e pré-candidato a vereador por Fortaleza, Flávio Sabino é apontado como líder do motim da PM no estado.

"CB PM SABINO e a liderança da Associação das Esposas de Militares convocaram os policiais e familiares para se fazerem presentes no 18º BPM com o objetivo de obstruir o serviço e iniciar o movimento de paralisação, tendo em seguida, homens mascarados, mulheres e crianças se aglomerado no local, dando início ao movimento que se difundiu durante a noite em outras unidades policiais da Capital e do Interior do Estado ", diz a publicação.

A publicação ainda determina que o Conselho de Disciplina apure a conduta do cabo além de retirar a arma e o seu distintivo.

O Ceará já registrou 122 assassinatos, segundo balanço divulgado neste domingo pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do estado. Os chamados Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) englobam os casos que se enquadram como homicídio doloso/feminicídio, lesão corporal seguida de morte e latrocínio.

Na noite de quinta-feira, os policiais e bombeiros militares recusaram o acordo proposto pelo governo do estado de realizar um aumento dos R$ 3,2 mil atuais para R$ 4,5 mil, parcelado até 2022.