Após a morte de mais um cachorro, Latam suspende transporte de pets no porão por 30 dias

·2 min de leitura
Plane of Latam Brazil Linhas Aereas, brazilian airline Boeing 777 at Guarulhos Airport, Sao Paulo Brazil 2021
Desde 15 de outubro, Latam suspendeu por 30 dias o transporte de pets no porão das aeronaves (Foto: Getty Images)
  • Latam suspendeu transporte de pets no porão das aeronaves por 30 dias

  • Decisão foi tomada após a morte de um cachorro da raça American Bully no dia 14 de outubro

  • Segundo laudo do veterinário que atendeu o pet, cachorro morreu asfixiado

A companhia aérea Latam anunciou que vai interromper por 30 dias o transporte de pets no porão de aviões. A medida está em vigor desde a última quinta-feira (15).

A decisão foi tomada depois da morte de um cão da raça American Bully no dia 14 de outubro. O cachorro estava em um voo entre o aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e o de Aracaju.

Na ocasião, segundo a Latam, a clínica veterinária que atendeu o animal atestou que “foi observado que ele roeu o kennel (caixa de transporte) de madeira em que estava e se asfixiou”. A companhia aérea ainda afirma que a caixa estava de acordo com o processo de transporte de animais de grande porte.

“A Latam já vinha fazendo uma análise profunda de todos os procedimentos deste tipo de transporte, e neste lamentável evento cumpriu todos os processos de forma correta. Diante deste cenário, a empresa decidiu neste momento suspender a venda para o transporte de pets no porão das aeronaves nos 30 próximos dias para o mercado brasileiro”, explicou a empresa.

Caso a pessoa já tenha comprado o serviço de transporte, poderá usá-lo normalmente. Outras alternativas são postergar seu custo ou pedir o reembolso.

Outro caso recente

Um cachorro filhote morreu no mês de setembro, após passar mal em voo de São Paulo ao Rio de Janeiro. O animal, da raça Golden Retriever, foi entregue quase sem vida à tutora, Gabriela Duque Rasseli.

Moradora do Rio, a jovem havia assumido a tutoria do animal junto a um canil de São Paulo, responsável por embarcá-lo na tarde de 14 de setembro. Quando o cachorro foi entregue a Gabriela, porém, pouco havia a ser feito para salvá-lo.

A mulher publicou o ocorrido em seu Instagram, acusando a companhia aérea Latam, responsável pelo voo, de ter “assassinado" o cachorro. Ela postou uma foto do animal momentos antes do voo, aparentando estar saudável, sobre uma mala, e outra após ser entregue no Rio, já desfalecido ao lado de uma vasilha de água.

Leia a nota completa da Latam sobre a morte do American Bully

A LATAM Airlines Brasil está consternada com o ocorrido ao cão da raça American Bully, o Weiser, transportado na tarde de 14 de outubro de 2021, entre o aeroporto de Guarulhos - São Paulo para o aeroporto de Aracaju - Sergipe e que chegou ao destino em óbito.

Em laudo emitido pela clínica veterinária que atendeu o Weiser, foi observado que ele roeu o kennel de madeira em que estava e se asfixiou. O Kennel estava em concordância com o processo de transporte de animais e de grande porte da LATAM.

A LATAM já vinha fazendo uma análise profunda de todos os procedimentos deste tipo de transporte, e neste lamentável evento cumpriu todos os processos de forma correta. Diante deste cenário, a empresa decidiu neste momento suspender a venda para o transporte de PETS no porão das aeronaves nos 30 próximos dias para o mercado brasileiro. O cliente que já adquiriu o serviço em questão poderá seguir com o transporte de forma regular, postergar sem custo ou então optar pelo reembolso em nossos canais de atendimento.

A Latam está acompanhando o caso e segue à disposição para prestar toda a assistência aos tutores do cão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos