Após assédio, mãe de Deolane Bezerra lamenta ataques de mulheres: ''Me doeu muito''

Deolane Bezerra e a mãe, Solange (FOTO: Clayton Felizardo/Brazil News)
Deolane Bezerra e a mãe, Solange (FOTO: Clayton Felizardo/Brazil News)

A mãe de Deolane Bezerra foi vítima de importunação sexual durante uma viagem de ônibus do Rio de Janeiro para São Paulo, na última segunda-feira (2). Após o crime vir à tona, Solange Bezerra revelou que sofreu ataques na internet, sendo a maioria deles da autoria de outras mulheres.

Ao participar do 'A Tarde é Sua' (Band), nesta quarta-feira (4), ela lamentou ter que lidar com tais comentários. “Falaram: ‘como que um cara ia mexer com uma mulher dessa, uma gorda'. Uma outra disse: ‘ela nem é atraente’. Isso me doeu muito. Nós não falamos quem éramos na delegacia. Os policiais que descobriram. Não queria expor o nome da Deolane porque tudo respinga nela”, disse.

A própria Deolane já tinha comentado o fato de sua mãe receber tantas críticas, sobretudo do público feminino, mesmo após ser vítima de assédio.

“As pessoas estão criticando por ela estar voltando de ônibus, porque eu sou rica e minha mãe está andando de ônibus. Até quando vocês irão colocar a culpa nas vítimas? Me digam! Sabe o que é mais engraçado, quem mais fala são as mulheres, meu Deus do céu, vocês não irão aprender nunca! Ou melhor, só vão aprender quando for com vocês! Acho que é isso que vocês esperam né? Que aconteça com vocês”, disse a advogada nas redes sociais.

Na ocasião, ela ainda lamentou que Solange tivesse que passar por tal situação. "Quem me acompanha sabe o quanto ela é simples, amorosa com os netos, com as filhas, e ver as pessoas julgando me dói muito sabe?”

Crime

Solange Alves Bezerra Santos, 54, fez uma denuncia à polícia após ser vítima de importunação sexual em uma viagem de ônibus entre Rio de Janeiro e São Paulo, nesta segunda-feira (2), quando um homem passou as mãos entre suas pernas enquanto ela dormia.

Em uma das paradas na Rodovia Presidente Dutra, em Queluz, a mãe de Deolane despertou quando percebeu que o homem a acariciava. Ao acordar, ela pediu a ajuda das duas filhas, Daniele e Dayanne, que estavam sentadas em um banco à frente. Imediatamente, elas e outros passageiros intervieram.

A Polícia Militar foi acionada e encaminhou a vítima, as testemunhas e o acusado para a delegacia. No local, as partes deram suas versões. Solange e as filhas foram liberadas. O homem, que não teve a identidade revelada, foi preso. À polícia, ele disse atuar como garoto de programa e, por isso, estaria em São Paulo.

Segundo Deolane, o assediador não estava com documentos e não tem residência fixa. "Eu espero que o tribunal de Justiça não o solte, até porque ele não responde os requisitos para responder em liberdade", disse ela no Instagram.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos