Após ataque a Vera Magalhães, Lula, Haddad e Garcia se solidarizam com jornalista

Ex-presidente Lula foi um dos que se manifestou após agressão do deputado Douglas Garcia contra Vera Magalhães (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
Ex-presidente Lula foi um dos que se manifestou após agressão do deputado Douglas Garcia contra Vera Magalhães (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)

Alvo de ataques do deputado estadual bolsonarista Douglas Garcia (Republicanos-SP), Vera Magalhães recebeu a solidariedade de diversos políticos, como o ex-presidente Lula (PT), o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) e o governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB).

“Triste com o desrespeito contra a jornalista Vera Magalhães por um deputado bolsonarista no debate de São Paulo”, publicou Lula nas redes sociais. “Debates deveriam ser notícia pelas propostas, não por ataques contra mulheres jornalistas, promovidos por quem vive do ódio e não gosta da democracia.”

Fernando Haddad, candidato ao governo do estado e participante do debate, defendeu que Douglas Garcia seja cassado por falta de decoro. “Deputado que agride ou assedia jornalista deve ser cassado por falta de decoro. Vamos transformar a Assembleia Legislativa de SP em território livre da misoginia. Solidariedade a Vera Magalhães”, afirmou o petista.

Atual governador, Rodrigo Garcia é candidato à reeleição, estava no debate e também se manifestou. “Meu total repúdio ao ataque covarde que a jornalista Vera Magalhães sofreu, após o debate da TV Cultura, vindo de um sujeito que não representa os valores democráticos nem o povo de São Paulo. Minha solidariedade a você, Vera”, declarou.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) ainda não se manifestou.

Antes do início do debate, Garcia já havia publicado nas redes uma provocação contra Vera Magalhães. A jornalista, paresentadora da TV Cultura, trabalhava no local, quando foi abordada e agredida pelo deputado.

Agressão no debate

A jornalista Vera Magalhães foi agredida pelo deputado Douglas Garcia (Republicanos) na saída do debate para governador do estado de São Paulo nesta terça-feira (13), que aconteceu no Memorial da América Latina.

Magalhães usou sua conta no Twitter para falar das agressões e postar vídeos do momento. Por conta do ocorrido, segundo relato da própria, ela teve de sair escoltada do local.

Ataques no debate presidencial

Os ataques contra Vera Magalhães acontecem na esteira do debate presidencial, em 28 de agosto. Na ocasião, a jornalista questionou Ciro Gomes (PDT) sobre as baixas taxas de vacinação no Brasil, com comentários de Bolsonaro. Ciro culpabilizou o presidente da República pela situação, em que poucos brasileiros estão procurando postos de saúde para se imunizarem.

Jair Bolsonaro se irritou, disse que Vera Magalhães "se revelou" na pergunta e ironizou a jornalista. Atacou Simone Tebet e criticou a atuação da senadora na CPI da Covid, quando ganhou destaque nacional.