Após ataque em debate, Vera Magalhães vai processar Damares por fake news em rádio

Damares contou
Damares contou "uma mentira grave" durante entrevista na Rádio BandNews, segundo Vera. REUTERS/Adriano Machado

Após sofrer ataque em debate eleitoral na última terça-feira (13), a jornalista Vera Magalhães afirmou que pretende processar a ex-ministra Damares Alves (Republicanos). Segundo a âncora do programa Roda Viva, a bolsonarista contou "uma mentira grave" durante entrevista na Rádio BandNews. Damares afirmou que a jornalista teria debochado dela sobre um estupro sofrido quando era criança.

"Agora irei à Justiça, inclusive à Eleitoral, contra Damares. Não vão me vencer pelo cansaço nem pela máxima de Goebbles de que uma mentira repetida mil vezes vira verdade. Aqui não!", escreveu em sua rede social.

“Você sabe o que a Vera fez comigo? Vera riu do meu estupro de criança aos 6 anos de idade. A Vera não pode fazer isso, ela é uma mulher, que é influenciadora. Ela influencia opiniões. Ela disse que eu merecia música do bicho de goiaba, porque eu estava num pé de goiaba. Ela sabe porque eu estava no pé goiaba aos dez anos chorando e quando eu tentei suicídio aos dez anos, porque eu tinha sido barbaramente estuprada. Você acha que essa mulher traz algum orgulho para o jornalismo? Ri de uma menininha estuprada?", declarou a ex-ministra de Jair Bolsonaro (PL) em entrevista.

Vera se pronunciou na tarde desta quinta-feira (15) via Twitter: "Ela [Damares] também repete a frase do chefe Bolsonaro de que eu sou uma "vergonha para o jornalismo". No afã de me caluniar, os bolsonaristas perpetuam esse assunto no noticiário. Além de vis, são burros", escreveu, se referindo a fala de Douglas Garcia.

Em pedido de resposta na mesma emissora, Vera negou que tenha zombado do estupro sofrido por Damares.

"A gente tinha um quadro nesse programa [na emissora Jovem Pan], em que se indicava uma música para encerrar o programa. Nesse dia, havia viralizado um vídeo da então ministra Damares Alves dizendo num culto que ela teria visto a imagem de Jesus quando ela estava num pé de goiaba. (...) Pedimos uma música, em tom jocoso, que acho inadequado e inapropriado. No dia seguinte, ao isso se tornar viral na internet, que a ministra veio a público revelar as circunstâncias nas quais ela tinha feito essa revelação, e aí sim ela revelou que tinha sido abusada sexualmente", explicou a jornalista.

"No dia em que ela fez isso, eu mesma, no mesmo espaço do programa, revelei isso, disse que a gente tinha feito o uso da música e que, a luz dos esclarecimentos da ministra, isso era absolutamente inapropriado e pedi desculpas em nome da equipe do programa. (...) Nunca eu tiraria algum sarro ou faria alguma zombaria com uma criança estuprada", esclareceu Vera.

Jornalista sofreu ataque de deputado bolsonarista

Na terça-feira, a jornalista Vera Magalhães foi agredida pelo deputado Douglas Garcia na saída do debate para governador do estado de São Paulo, que aconteceu no Memorial da América Latina.

Magalhães usou sua conta no Twitter para falar das agressões e postar vídeos do momento. Por conta do ocorrido, segundo relato da própria, ela teve de sair escoltada do local.