Após ataques a jornalista, Rodrigo Garcia irá ao próximo debate em SP só com mulheres

Garcia tem usado episódio envolvendo Vera Magalhães para atacar Tarcísio de Freitas (REUTERS/Amanda Perobelli)
Garcia tem usado episódio envolvendo Vera Magalhães para atacar Tarcísio de Freitas

(REUTERS/Amanda Perobelli)

  • Rodrigo Garcia irá ao próximo debate com candidatos ao governo de SP só com mulheres;

  • Estratégia é usada para atingir seu adversário, Tarcísio de Freitas, após ataques à jornalista;

  • No último debate, um dos acompanhantes de Tarcísio, Douglas Garcia, afrontou Vera Magalhães.

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), comparecerá ao próximo debate entre os candidatos ao cargo, promovido pelo SBT no sábado que vem (17), acompanhado por uma comitiva formada exclusivamente por mulheres.

A decisão visa atingir o adversário Tarcísio de Freitas (Republicanos) depois da polêmica envolvendo um dos acompanhantes dele no último debate: o deputado bolsonarista Douglas Garcia (Republicanos). Na ocasião, o deputado fez ataques à jornalista Vera Magalhães na saída do evento promovido pela TV Cultura, UOL e Folha de S. Paulo.

Desde então, o governador de São Paulo tem usado o episódio para desgastar Tarcísio e fazer com que o eleitorado feminino o rejeite, da mesma forma que tem acontecido com o padrinho e apoiador dele, o presidenciável Jair Bolsonaro (PL).

Ao lado de Garcia, também deve estar sua esposa, Luciana Garcia, a filha Isabela e outras convidadas, como Inês dos Santos Coimbra, nova procuradora-geral do Estado. As informações são do O Globo.

Repúdio

O episódio envolvendo a jornalista Vera Magalhães fez com que diversos políticos manifestassem sua solidariedade, como os presidenciáveis Lula (PT), Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB), e os candidatos ao governo de SP, Fernando Haddad (PT) e Rodrigo Garcia.

Durante comício com Jair Bolsonaro, Tarcísio de Freitas também se posicionou contra os ataques e disse que, apesar de “não poder falar pelo partido”, acredita que “esse tipo de atitude tem que ser punida severamente. Inclusive pela Alesp” (Assembleia Legislativa de São Paulo). Em ocasiões anteriores, Bolsonaro também agrediu verbalmente a jornalista.

O deputado Douglas Garcia, por sua vez, disse que não voltaria atrás no que fez. “Não me arrependo de nada que fiz hoje. Se eu tenho que pedir desculpa para alguém, não é para jornalista nenhum, é para o Tarcísio”, declarou.

Até o momento, ao menos seis representações foram feitas no Conselho de Ética da Alesp pedindo a cassação de Douglas Garcia (Republicanos) por quebra de decoro parlamentar. Os parlamentares que pediram a cassação são: Emídio de Souza e Paulo Fiorilo, ambos do PT, Isa Penna (PCdoB), Monica Seixas (PSOL) e, segundo o portal g1, Patricia Bezerra (PSDB), Leci Brandão (PCdoB) e Márcia Lia (PT).

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente: