'Bolsonaro tem o hábito de agredir e ofender mulheres', diz campanha de Alckmin

BRUNO BOGHOSSIAN

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Na estreia da propaganda eleitoral no rádio, a campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) dirá que seu rival Jair Bolsonaro (PSL) "tem o hábito de ofender e agredir mulheres".

Em duas peças de propaganda que serão veiculadas ao longo da programação das emissoras, o tucano atacará o adversário por episódios em que ele entrou em confronto com mulheres.

"Sabe o Bolsonaro? Pois ele tem o hábito de ofender e agredir mulheres. Isso que você está ouvindo aí é ele chamando uma repórter de idiota e analfabeta", diz um locutor, em referência a um episódio em que o deputado do PSL criticou uma jornalista da RedeTV!, em 2014.

O spot de propaganda de Alckmin no rádio também destaca o caso em que, naquele mesmo ano, Bolsonaro disse que "não ia estuprar" a deputada Maria do Rosário (PT-RS) porque ela "não merece".

"Pense nisso. Você gostaria que a senhora sua mãe e sua filha fosse tratada assim? Bolsonaro, cara, olha, sem comentário, hein?", diz o texto.

A peça não cita o nome de Alckmin, embora um locutor leia o nome de sua coligação.

Outra inserção de propaganda simula um diálogo entre duas mulheres que utilizam um aplicativo de celular para relacionamentos.

"Esse aqui é bem gatinho, mas olha aqui, vota no Bolsonaro. [...] Miga, sua louca, Bolsonaro agride mulher, xingou repórter, disse que não estuprava uma deputada porque ele nao merecia. Vai dar crush num cara que admira esse sujeito? Se ele pensa igual ao Bolsonaro, pode agir igual ao Bolsonaro", dizem as atrizes.

Alckmin e outros candidatos querem absorver o eleitorado feminino que rejeita Bolsonaro. Desde junho, o índice de mulheres que dizem não votar no candidato do PSL "de jeito nenhum" subiu de 34% para 43%, segundo o Datafolha.