Após compra de Elon Musk, insultos raciais crescem 500% no Twitter

Em menos de 24 horas, número de insultos racias cresce 500% no Twitter após compra por Elon Musk (Muhammed Selim Korkutata / Anadolu Agency)
Em menos de 24 horas, número de insultos racias cresce 500% no Twitter após compra por Elon Musk (Muhammed Selim Korkutata / Anadolu Agency)
  • Uso de termos racistas cresceu 500% nas últimas 24 horas, apontou instituto de pesquisa;

  • Musk tentou assegurar aos anunciantes que rede não se tornaria um "inferno a céu aberto";

  • Tuíte de Musk já foi comentado mais de 43,8 mil vezes.

Após uma negociação que parecia não ter fim, Elon Musk finalmente concluiu sua compra do Twitter nesta quinta-feira (28). Para celebrar, o bilionário tuitou na madrugada desta sexta-feira "o pássaro está livre". Usuários, no entanto, levaram a afirmação ao extremo, acreditando ser uma permissão para proferir ofensas raciais direcionadas especialmente para negros e judeus.

A publicação recebeu incontáveis comentários de usuários, dentre eles pessoas de peso como o senador americano Ted Cruz, nome importante dentro do campo conservador dos Estados Unidos. Outros, no entanto, aproveitaram a oportunidade para equiparar liberdade de expressão com o crime de injúria racial e homofobia.

Ao todo, o tuíte de uma frase de Musk já foi curtido 1,8 milhões de vezes, comentado 43,8 mil vezes, além de ter recebido mais de 100 mil respostas.

O caso acontece em menos de 24 horas de Elon Musk assumir o cargo como novo CEO. Em um comunicado divulgado ao público ontem, Musk assegurou aos anunciantes da rede social que seu objetivo não é tornar a plataforma "um inferno a céu aberto", mas sim torná-la útil para a humanidade "onde uma vasta gama de pensamentos e crenças podem ser debatidas de uma forma saudável, sem recorrer à violência".

"Existe atualmente um grande perigo de os meios de comunicação social se dividirem em câmaras de eco de extrema direita e de extrema esquerda que geram mais ódio e dividem a sociedade”, argumentou Musk.

De acordo com o Instituto de Pesquisa de Contágio em Rede, o número de ofensas raciais subiu vertiginosamente nas últimas 24 horas. "As evidências sugerem que os maus atores estão tentando testar os limites da rede social. Vários posts no 4chan encorajam os usuários a reproduzirem insultos depreciativos", disse em um post denunciando o ato. "O uso de injúrias racistas aumentou 500%" concluiu.