Segundo turno: após discursos, PT confia que Tebet e Ciro apoiarão Lula

PT espera ter apoio de Tebet e Ciro no segundo turno (MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
PT espera ter apoio de Tebet e Ciro no segundo turno (MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
  • PT confia em apoio de Simone Tebet e Ciro Gomes a Lula no segundo turno

  • Partido avaliou que discursos dos candidatos após a derrota de domingo indicaram o apoio

  • Lula disputa o segundo turno da eleição presidencial com Jair Bolsonaro

Sem a sonhada eleição de Luiz Inácio Lula da Silva na eleição de domingo (2), o PT inicia os preparativos para a campanha do segundo turno da corrida presidencial e espera contar com os reforços de Simone Tebet (MDB) e Ciro Gomes (PDT).

Terceiro e quarto colocados, respectivamente, na disputa pela Presidência da República, Tebet e Ciro ainda não se posicionaram oficialmente sobre o segundo turno, mas o lado petista viu "sinais" do apoio dos candidatos em seus discursos após a derrota.

De acordo com a coluna de Igor Gadelha no portal Metrópoles, pessoas próximas a Lula entenderam que Tebet deu indício claro desse apoio ao dizer que "tem lado" e pretende "se posicionar no momento certo" sobre a disputa do petista com o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Ainda segundo Gadelha, Tebet já teria avisado as lideranças do MDB de que não apoiará Bolsonaro no segundo turno. O partido, porém, deve liberar seus afiliados para tomar o lado que quiserem na disputa presidencial.

Antes mesmo da eleição de domingo, de acordo com informações do jornal O Globo, o PT já teria ensaiado uma aproximação de Tebet, negociando um ministério em um possível futuro governo de Lula, em troca do apoio da então candidata em caso de segundo turno.

Situação de Ciro

Pessoas ligadas à campanha de Lula também confiam que Ciro Gomes tenha dado indícios de um possível apoio ao petista no segundo turno durante seu discurso no domingo.

Após a quarta colocação na eleição presidencial ser confirmada, Ciro falou rapidamente com a imprensa e manifestou "profunda preocupação" com uma "situação tão complexa e desafiadora" quanto a vivida pela política brasileira atualmente.

Para a campanha de Lula, a declaração estaria ligada ao avanço da extrema-direita e do bolsonarismo, não só com o atual presidente, mas com resultados expressivos nas eleições para senador, deputado estadual e deputado federal.

Assim, o PT espera que Ciro tenha atitude diferente da eleição de 2018, quando, após ficar na terceira colocação, decidiu não manifestar apoio ao petista Fernando Haddad no segundo turno contra o mesmo Bolsonaro.