Após golpe, Santander e Pagseguro terão que pagar R$ 25 mil a vítima

Golpe bancário está ficando cada vez mais sofisticado
Golpe bancário está ficando cada vez mais sofisticado
  • Santander, Aymoré Crédito e PagSeguro terão que pagar R$ 25 mil à vítima de golpe;

  • R$ 20 mil é de restituição e R$ 5 mil de indenização por danos morais;

  • Cliente achou que falava com as empresas pelo WhatsApp, mas transferiu dinheiro a um criminoso.

O Banco Santander, a Aymoré Crédito (do grupo Santander) e a PagSeguro terão que restituir R$ 20 mil e pagar outros R$ 5 mil de indenização por danos morais a um cliente que caiu em um golpe pelo WhatsApp. De acordo com a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), as entidades financeiras faltaram com "a necessária segurança contra fraudes".

No processo, o cliente explica que, depois de fechar um contrato de concessão de crédito com o banco Santander e a Aymoré Crédito, entrou em contato com a empresa pelo WhatsApp para quitar antecipadamente a dívida. O que ele não sabia é que estava conversando com um criminoso.

Pelo aplicativo, confirmou seus dados pessoais e pagou quatro boletos no valor total de R$ 20 mil – quantia que foi enviada para a PagSeguro. Dias se passaram sem que a carta de quitação chegasse a seu endereço, o que fez com que ele fosse diretamente no banco pedir explicações. Foi aí que percebeu que havia sido enganado. As informações são do O Globo.

Julgamento

Para a desembargadora Penna Machado, houve “grave falha no serviço prestado” pelas empresas, que não ofereceram segurança contra fraudes virtuais e ofenderam a honra do cliente. Daí a necessidade de indenização por danos morais.

A PagSeguro, beneficiária final dos depósitos, alegou que não há erros na prestação de seu serviço, já que "o cerne da questão é o acesso à lista de clientes do Banco Santander pelos fraudadores". O Santander e a Aymoré, por sua vez, apontaram que o golpe via WhatsApp é amplamente difundido nas mídias, portanto a culpa é do cliente ou de terceiros.

Procurado pelo EXTRA, o Santander disse que "não vai comentar controvérsias em andamento (sub judice). A Pagseguro ainda não respondeu aos pedidos da reportagem.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos