Após Lira citar “remédios fatais”, Bolsonaro garante não haver “problema nenhum” entre eles

Gabriel Melloni
·2 minuto de leitura
Bolsonaro garantiu ter boa relação com Lira (AP Photo/Eraldo Peres)
Bolsonaro garantiu ter boa relação com Lira (AP Photo/Eraldo Peres)
  • Bolsonaro recebeu Arthur Lira nesta quinta-feira para uma conversa no Planalto

  • Na quarta, o presidente da Câmara criticou a condução do governo no combate à Covid-19

  • Lira chegou a dizer que os "remédios políticos" para o "espiral de erros" poderiam ser "fatais"

Um dia após as críticas de Arthur Lira (PP) à administração da crise da Covid-19 pelo Governo Federal, Jair Bolsonaro (sem partido) garantiu não ter “problema nenhum” com o presidente da Câmara.

Bolsonaro recebeu Lira no Palácio do Planalto nesta quinta-feira, depois de o deputado afirmar que “os remédios políticos” no Congresso contra o “espiral de erros” no combate à pandemia são “conhecidos”, “amargos” e até “fatais”.

Leia também:

“Eu conversei com o Lira, não tem problema nenhum entre nós. Zero problemas. Conversamos sobre muitas coisas. O que queremos juntos é maneira de contratarmos mais vacinas. É, na ponta da linha, fazer com que chegue as informações de que as vacinas estão sendo aplicadas”, declarou.

Na quarta, Lira não mencionou um possível processo de impeachment de Bolsonaro e deixou claro que estes “remédios” não dependiam de sua própria intenção, mas criticou os "erros primários, desnecessários e inúteis" dos governos, sem deixar claro o alvo da declaração.

Lira fez críticas à condução da crise da Covid-19 pelo governo
Lira fez críticas à condução da crise da Covid-19 pelo governo

Nesta quinta, Bolsonaro tratou de botar panos quentes na situação e se disse um apoiador de Lira.Nunca teve nada errado. Ele é meu velho amigo de parlamento, torci por ele. E no governo continua tudo normal.

Se respondeu sobre sua relação com o deputado, o presidente se esquivou das perguntas sobre Ernesto Araújo. Ele vem sofrendo pressão de parlamentares, que pedem a saída do ministro das Relações Exteriores, mas preferiu não falar sobre o assunto.

Brasil atinge 300 mil mortos por Covid-19

O Brasil registrou 1.999 novas mortes pelo novo coronavírus e 89.414 casos da doença nesta quarta. Com isso, o total de mortos chegou a 300.675 e o de casos a 12.219.433, de acordo com o painel atualizado pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), um sistema próprio de informações que reúne dados de contaminados e de óbitos em contagem paralela à do governo.