Após lockdown, mortes por Covid em Araraquara caem 62% em abril

·3 minuto de leitura
Há uma semana Araraquara, no interior de SP, entrou em lockdown, com fechamento de lojas e restaurantes. Desde domingo (21) nem supermercados ou postos de gasolina podem abrir. Foto: Prefeitura Municipal de Araraquara
Há uma semana Araraquara, no interior de SP, entrou em lockdown, com fechamento de lojas e restaurantes. Desde domingo (21) nem supermercados ou postos de gasolina podem abrir. Foto: Prefeitura Municipal de Araraquara
  • As mortes por Covid-19 em Araraquara (interior de São Paulo) caíram 62%, de 129 para 49, de março para abril

  • A redução na taxa de óbitos está relacionada ao lockdown adotado pelo prefeito Edinho Silva (PT) a partir de 21 de fevereiro

  • Contrário ao isolamento social, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou a medida que salvou vidas na cidade paulista

Araraquara, no interior de São Paulo, conseguiu controlar a pandemia de coronavírus após a adoção do lockdown, com fechamento compulsório do comércio e medidas mais restritivas de locomoção. As mortes provocadas pela Covid-19 na cidade despencaram 62% em abril, na comparação com o mês anterior.

O município, que virou símbolo no estado do avanço da variante brasileira da doença, viu explodir o total de óbitos a partir do final de janeiro e, nos dois primeiros meses do ano, registrou 117 mortes (em todo 2020, foram 92 vítimas fatais).

Em março, pior mês da pandemia na cidade, foram 129 mortes. O lockdown foi decretado em 21 de fevereiro, com restrições mais severas nos sete primeiros dias. Um mês depois, a média móvel diária de novos casos caiu de 189 para 80, ou 58% menos.

Os efeitos positivos da paralisação total vieram em abril. A taxa de óbitos caiu para 49, conforme dados do comitê de contingência do novo coronavírus da cidade. Também melhoraram os índices de novos casos e o total de moradores internados.

O cenário vai na contramão do que ocorreu no país, que bateu na última quinta-feira (29) a marca de 400 mil mortes, 100 mil delas num intervalo de apenas 36 dias, o que representa 33% de crescimento desde 24 de março.

Contrário ao isolamento social e propagador de falas negacionistas, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou as restrições adotadas pelo prefeito de Araraquara, Edinho Silva (PT), que reduziram as mortes por Covid na cidade.

"Nesse momento, comboio parte da Ceagesp rumo a Araraquara/SP, levando alimentos para aqueles vitimados pela política do 'fique em casa que a economia a gente vê depois'", disse o presidente em redes sociais.

Edinho reagiu e disse que Bolsonaro poderia fazer isso sem humilhar as pessoas. "Mas o presidente Jair Bolsonaro poderia fazer isso sem humilhar as pessoas, sem que elas ficassem em uma fila indiana por horas, no meio da rua, de madrugada, ou durante o dia, debaixo do sol, sem água, para pegar uma sacola de alimentos", disse ele, que ressaltou que a ação do Ceagesp durou apenas um dia e que a prefeitura tem combatido a fome "não um dia, para gerar imagens, mas todos os dias".

Araraquara tem 183 internados nesta sexta-feira, dos quais 93 são moradores de Araraquara e 90 são de outras 23 localidades, que foram transferidos para hospitais do município. Desses, 47 estão em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva), que têm ocupação total de 90%. Com informações do jornal Folha de S.Paulo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos