Após ter prisão decretada por feminicídio de influencer, ex-marido é encontrado morto

·2 minuto de leitura
Foto: Reprodução/Redes Sociais
Foto: Reprodução/Redes Sociais
  • Ela foi morta em novembro do ano passado e encontrada sem roupas na beira de uma estrada

  • Casal tinha histórico de violência doméstica

  • Polícia acredita que ele cometeu suicídio

Thomas Sharkley, suspeito de assassinar sua ex-esposa, a influenciadora digital Alexis Sharkley, foi encontrado morto nesta quarta-feira (6) na Flórida, nos Estados Unidos.

Ele foi localizado pelo Serviço de Delegados dos Estados Unidos com um tiro na cabeça. Thomas enfrentava um mandado de prisão emitido pelas autoridades locais no dia 29 de setembro, por conta da morte de Alexis, em dezembro do ano passado no Texas.

A polícia de Houston, no estado do Texas, informou que ele tinha 50 anos e cometeu suicído com arma de fogo.

Alexis morreu aos 26 anos vítima de estrangulamento. O principal suspeito é seu ex-marido, que, segundo relatos, não aceitava o fim do relacionamento. A revista norte-americana People relatou que o casamento deles foi marcado por violência doméstica.

Leia também:

Além disso, os investigadores do caso alegam que o suspeito foi desonesto com os detetives. Quando o corpo de Alexis foi encontrado, ele deixou o Texas e foi viver na Geórgia, segundo a polícia.

O caso

Alexis Sharkley, de 26 anos, foi encontrada morta a 5 km da casa onde foi vista pela última vez, no Texas, no dia 28 de novembro de 2020. Ela havia desaparecido no dia seguinte ao Dia de Ação de Graças, celebrado no dia 25 do mesmo mês. Quando foi localizada por funcionários da cidade de Houston, ela estava sem roupas na beira de uma estrada.

Ela tinha pouco mais de 30 mil seguidores no Instagram. Alexis havia se casado com Thomas Shakley em 2019, mas estava em processo de se separar dele.

Na época, sua mãe, Stacy Robinault, afirmou em entrevista que a influenciadora deixou o apartamento em que vivia com o ex-companheiro depois de uma discussão na noite do dia 27 de novembro.

Nos dias que se seguiram, Thomas falou com a mídia e fez publicações nas redes sociais lamentando a morte da mulher. Em uma publicação, escreveu: “Meu mundo! Meu tudo! Estou perdido agora! Minha única!” (tradução livre do inglês).

A morte de Alexis foi classificada como homicídio em janeiro, após o resultado da autópsia. A partir daí, investigadores começaram a ver Thomas como suspeito, já que foi a única pessoa com um motivo para cometer o crime, de acordo com o jornal norte-americano ABC.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos