Após matar ciclista, Renan, do Bragantino, recebe liberdade provisória

A Justiça concedeu liberdade provisória ao zagueiro Renan, do Red Bull Bragantino, acusado de atropelar e matar um motociclista na manhã de sexta-feira, 22, em Bragança Paulista. Segundo apurado pelo repórter Lucas Rangel, da TV Vanguarda, o atleta terá que pagar fiança equivalente a R$ 242 mil, comparecer em todos os atos do processo e está proibido de frequentar bares e casas de shows.

O zagueiro, emprestado pelo Palmeiras ao Red Bull Bragantino, foi preso pela Polícia Civil em Bragança Paulista por se envolver em um acidente que resultou na morte de um motociclista na manhã da última sexta (22).

Renan colidiu seu carro com uma moto e o motociclista não resistiu aos ferimentos. O acidente ocorreu na estrada que liga Bragança Paulista a Itatiba durante a madrugada. Segundo testemunhas, ele teria entrado na contramão e atingido a moto.

De acordo com a polícia, o jogador que apresentava sinais de embriaguez e tinha uma garrafa de bebida álcoolica no carro, teria se recusado a fazer o teste do bafômetro em duas oportunidades: no local acidente e e na delegacia.

A Polícia Civil também confirmou que Renan dirigia o carro sem permissão, já que tinha estourado o limite de 20 pontos na carteira de habilitação recentemente.

Sem espaço no Palmeiras durante esta temporada, o zagueiro Renan foi emprestado ao clube do interior até dezembro de 2022, sem opção de compra pelo Massa Bruta.

Revelado nas categorias de base do clube alviverde, Renan chegou aos profissionais na passagem do técnico Vanderlei Luxemburgo, ainda na temporada 2020.

Antes de acertar com o Red Bull Bragantino, Renan também despertou interesse de outras equipes como Fortaleza e Coritiba.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos