Após meses "sumido", brasileiro reaparece tocando trombone nas ruas da Turquia

·3 minuto de leitura
Tadeu Passarelli toca trombone nas ruas da Turquia (Foto: Reprodução)
Tadeu Passarelli toca trombone nas ruas da Turquia (Foto: Reprodução)
  • Há cerca de cinco anos, o músico brasileiro Tadeu Passarelli mudou-se do Brasil para a Finlândia

  • Acontece que "de uns meses para cá", como diz a própria filha, o músico desapareceu das redes sociais e não deu mais notícias

  • No último dia 14, porém, a filha recebeu uma mensagem esperançosa no Instagram: haviam encontrado Tadeu tocando trobone nas ruas da Turquia, a mais de 3.000 quilômetros de distância da Finlândia

Há cerca de cinco anos, o músico brasileiro Tadeu Passarelli mudou-se do Brasil para a Finlândia, conhecida por ter o campeonato Mundial de Planadores — aeronaves sem motor —, uma das paixões do ex-integrante da Sindicato, banda de rock dos anos 1970, e fundador do Conselho Fiscal da Associação Brasileira dos Trombonistas. 

"Meu pai vazou do Brasil pra Finlândia há uns cinco anos, depois que meu avô morreu e minha avó ficou presa à cama por causa do Alzheimer", explicou Gaia Passarelli, filha do músico, em uma rede social.

Leia também:

Distante da família, o único contato que Gaia e seus familiares tinham com Tadeu era via Facebook e por meio de troca de e-mails. Acontece que "de uns meses para cá", como diz a própria filha, o músico desapareceu das redes sociais e não deu mais notícias.

No último dia 14, porém, Gaia recebeu uma mensagem esperançosa no Instagram: haviam encontrado Tadeu. O músico, porém, estava na Turquia, a mais de 3.000 quilômetros de distância da Finlândia, tocando trobone nas ruas do país do oriente médio.

"Uma ciclista brasileira trombou com meu pai no litoral da Turquia, ela foi muito gentil, deu notícias. Quando eu expliquei que a família dele aqui estava preocupada, ela se mostrou genuinamente preocupada, voltou até a cidade anterior da rota para procura-lo", contou Gaia.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Tadeu foi roubado e perdeu os documentos

Não se sabe ao certo quanto tempo Tadeu está na Turquia e nem os motivos que levaram o músico para o país. Segundo a filha, ele foi roubado e perdeu todos os documentos. Por isso, além de não conseguir contatar a família no Brasil, o roqueiro não consegue entrar na Finlândia.

"Hoje estou lidando com uma verdadeira rede de apoio turca. Tem um grupo de whatsapp. Saiu na imprensa local", contou Gaia, referindo-se a uma reportagem do site turco HBRMA - Panorâma de Notícias, de janeiro deste ano, que conta a história de Tadeu nas ruas da Turquia com seu trombone.

Em um trecho da reportagem turca, o músico conta que chegou à Gazipaşa, município localizado no litoral do país, em dezembro de 2020 e que "amou o lugar", porque as pessoas são muito simpáticas. Segundo entrevista, Tadeu "viajou de país em país" antes de se estabelecer no local.

"Estou no ramo da música. Eu sou o maestro da orquestra. Eu dou concertos de piano. Eu canto as obras de Bach na rua, vejo as reações. Vou continuar a fazê-lo conforme o tempo permitir", disse ao jornal.

Em um trecho da reportagem turca, o músico conta que chegou à Gazipaşa, município localizado no litoral do país, em dezembro de 2020 e que
Em um trecho da reportagem turca, o músico conta que chegou à Gazipaşa, município localizado no litoral do país, em dezembro de 2020 e que "amou o lugar" (Foto: Reprodução)

Grupo de WhatsApp turco

O contato entre a família e Tadeu, porém, ainda não foi restabelecido. Segundo Gaia, foi criado um cartaz de procura-se na tentativa de colocar o homem novamente em contato. O cartaz foi divulgado nas redes sociais: "Brasileiro de 71 anos foi roubado e precisa de suporte para contatar sua família no Brasil", diz.

No domingo (18), Gaia escreveu nas redes sociais que, pelo grupo de WhatsApp com os turcos, soube que o pai estava em um ônibus indo para a cidade de Istambul. 

"Se vocês conhecem pessoas em Istambul, agradeço se puderem compartilhar", disse Gaia. Segundo ela, o foco está sendo encontrar pessoas dentro deste grupo que podem ajudar Tadeu presencialmente. 

"Já conseguimos mapear os passos dele por lá, agora acho que é questão de tempo", escreveu. "Não sei como as pessoas sabem isso, porque elas falam em turco, mas tô arrasando aqui no Google translate".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos