Após morte da rainha Elizabeth, indianos pedem volta do diamante Koh-i-Noor

Coroa da Rainha Mãe, mãe de Elizabeth II, tem o diamante Koh-i-Noor (Foto: Tim Graham Photo Library via Getty Images)
Coroa da Rainha Mãe, mãe de Elizabeth II, tem o diamante Koh-i-Noor (Foto: Tim Graham Photo Library via Getty Images)

Um dia depois do anúncio da morte da rainha Elizabeth II, indianos estão usando as redes sociais para pedir a volta do diamante Koh-i-Noor – que significa “montanha de luz”.

A pedra preciosa está na coroa que foi feita para a mãe da rainha Elizabeth, conhecida como Rainha Mãe. A peça é feita de 2.800 pedras, entre elas o Koh-i-Noor.

O diamante foi extraído do local onde hoje fica o estado de Andhra Pradesh, na Índia, durante a dinastia Kakatiyan dos séculos XII e XIV. Os registros são de que, sem cortes, o diamante teria 793 quilates.

A pedra passou pelas mãos de diversos povos, até chegar à Companhia das Índias Orientais em 1840. O Koh-i-Noor foi apresentado à rainha Vitória e ao príncipe Albert. A monarca pediu para que o diamante fosse cortado e colocado nas coroas das rainhas Alexandra e Mary e, depois, foi posto na coroa da Rainha Mãe, em 1937.

Em 1953, quando rainha Elizabeth II foi coroada, outra parte do diamante foi usada. Os governos de Irã, Paquistão e Índia reivindicam o diamante.

Parte da população indiana acredita que a pedra deve voltar ao país. Em 1947, o governo da Índia pediu a volta do Koh-i-Noor ao país, mas o Reino Unido afirmou que não há fundamentos legais para a devolução.