Após oito dias preso, dono da Dolly é solto em SP

Reprodução/GloboNews

O dono da empresas de refrigerantes Dolly, Laerte Codonho, foi solto na noite de sexta-feira após ficar oito dias preso por fraude fiscal.

Codonho havia sido preso no último dia 10 de maio em sua casa, na cidade de Cotia (SP). O Ministério Público acusa o empresário de fraude fiscal, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

No dia em que foi preso, Codonho chegou à delegacia carregando um cartaz em que se lia: “Preso pela Coca-Cola”

Entenda o caso

De acordo com o portal G1, a empresa de refrigerantes teria fraudado o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ao demitir funcionários para recontrata-los por outra companhia.

Além do empresário, o ex-contador e um funcionário também foram presos esta manhã.

Durante a ação em Cotia, os agentes apreenderam quatro carros de luxo e dinheiro em espécie — o valor do montante, em real, dólar, euro e libra, não foi divulgado. Outros dois helicópteros pertencentes ao dono da Dolly também foram tomados em São Bernardo do Campo.

Em nota, a empresa declarou se tratar de uma injustiça. “Em relação à prisão temporária do empresário Laerte Codonho, detentor da marca Dolly, reforçamos que a prisão é injusta. Laerte Codonho sempre colaborou com as autoridades, e tem certeza que provará sua inocência. A defesa recorrerá da decisão e confia na Justiça”, divulgou.

A Coca-Cola, por sua vez, declarou que “não comenta processos judiciais em que não esteja envolvida”.