Após protestos pedindo impeachment, Bolsonaro passeia de moto em Brasília e ignora perguntas sobre popularidade do governo

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
“O que o senhor achou dos protestos de ontem, presidente? O senhor acha que abala a popularidade do seu governo?”, perguntou um jornalista a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)
“O que o senhor achou dos protestos de ontem, presidente? O senhor acha que abala a popularidade do seu governo?”, perguntou um jornalista a Bolsonaro (Foto: Reprodução/Twitter)

Durante o fim de semana, movimentos ligados à esquerda e à direita foram às ruas protestar em favor do impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Após os atos, Bolsonaro aproveitou o domingo (24) para passear de moto em Brasília e se recusou a responder questionamentos sobre as manifestações.

Bolsonaro partiu do Palácio do Alvorada, onde mora em Brasília, seguiu para o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) para observar a paisagem perto do Lago Paranoá e, por fim, parou em uma barraca de frutas.

“O que o senhor achou dos protestos de ontem, presidente? O senhor acha que abala a popularidade do seu governo?”, perguntou um jornalista a Bolsonaro.

Leia também

O presidente, por sua vez, ignorou o jornalista, colocou o capacete e seguiu com mais uma motos com dois seguranças.

De acordo com o Poder 360, um carro com mais seguranças se aproximou do grupo já perto do fim do passeio. A ambulância, que tradicionalmente acompanha as movimentações, não participou do passeio.

Impeachment de Bolsonaro

Separadas, esquerda e direita protestaram em favor do impeachment, no fim de semana. No sábado (23), a Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo, de esquerda, organizaram carreatas em pelo menos 21 capitais e grandes cidades do país.

No domingo (24), a direita foi às ruas liderada pelo MBL e o Vem Pra Rua seguindo o mesmo modelo de protesto motorizado — para evitar o contágio pela Covid-19 — em pelo menos sete cidades.

Os protestos acontecem em meio a um nova pesquisa, divulgada pelo Atlas no domingo (24), que apontta que para 53% da população brasileira é hora de submeter Bolsonaro a um processo de impeachment.

Segundo o levantamento, o apoio ao impeachment ― que se espalha em todas as regiões e faixas de renda, mas é mais forte entre as mulheres e no Nordeste― está no patamar mais alto desde maio, quando alcançou 58% na série histórica medida pela empresa.