'Quem não votou em mim não será perseguido', diz Bolsonaro

Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Eleito com quase 58 milhões de votos, Jair Bolsonaro (PSL) afirmou na noite desta segunda-feira (28) que não perseguirá os que não o apoiaram nas urnas. "Aquele que não votou em mim, pode ficar tranquilo que não será perseguido e que terá espaço no nosso governo", disse em entrevista ao SBT. A declaração foi feita ao ser questionado sobre como falaria com as pessoas que afirmam estar com medo de sua vitória. "Vamos respeitar a maioria. A nossa votação representou a maioria dos votos válidos. Essas pessoas acreditaram naquilo que nós pregamos ao longo da pré-campanha e da campanha também", afirmou. Bolsonaro voltou a repetir que 'todos estão no mesmo barco' e que este não é momento de grupos divergentes trabalharem contra si. Perguntado sobre o papel da oposição em seu governo, o presidente eleito deu as boas vindas. "A oposição é bem-vinda, ela pode, em sendo responsável, evitar que você cometa um deslize, pode aperfeiçoar projetos", afirmou. Ele disse já ter respondido ao cumprimento feito por seu adversário no segundo turno, o petista Fernando Haddad, ao dizer que o Brasil 'merecia o melhor'. A troca de mensagens se deu por meio das redes sociais nesta segunda, eles não se falaram por telefone. Bolsonaro disse que poderia conversar com o PT, mas que o diálogo dependeria do partido. "Eu conheço bem o PT e eles me conhecem. No que depender de mim a gente pode conversar. Depende deles essa conversa agora. Não podemos ceder em pontos capitais que a esquerda defende e nós, não", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos