Após renúncia, Evo Morales já tem oferta de emprego

Redação Notícias
Bolivia's President Evo Morales speaks during a press conference at the military airport in El Alto, Bolivia, Saturday, Nov. 9, 2019.  Police in three of the most important cities of Bolivia retreated to their barracks asking for the resignation of Morales, who stressed “a coup d'etat in process” and called for a dialogue with the opposition to pacify the country after weeks of protests against the results of the presidential elections. (AP Photo/Juan Karita)
Canal foi criado pelo Kremlin para apresentar o ponto de vista de Moscou a respeito de assuntos internacionais. (Foto: AP Photo/Juan Karita)

A diretora da RT, emissora de TV apoiada pelo Kremlin, ofereceu nesta segunda-feira um emprego como apresentador a Evo Morales, que renunciou neste domingo à presidência da Bolívia.

"Ofereço a Morales um interessante trabalho como apresentador em espanhol da RT", anunciou Margarita Simonyan no aplicativo de mensagens Telegram.

Leia também

O ex-presidente equatoriano Rafael Correa apresenta há um ano um programa de entrevistas políticas no canal em espanhol da RT, recordou Simonyan.

"Você nunca sabe o que o futuro nos reserva", declarou a diretora.

Morales, 60, presidente latino-americano que estava há mais tempo no poder, renunciou neste domingo em um cenário de protestos violentos, depois de perder o apoio do Exército e da polícia.

RT, canal antes conhecido como Russia Today, foi criado pelo Kremlin para apresentar o ponto de vista de Moscou sobre os assuntos internacionais.

A emissora já recebeu convidados polêmicos, incluindo o fundador do WikiLeaks, Julian Assange.

O canal já recebeu várias advertências das agências reguladoras do setor audiovisual na Grã-Bretanha por suas coberturas tendenciosas sobre as crises na Síria ou Ucrânia.

da AFP