Após vacina, mortes e internações de idosos acima de 90 anos despencam em SP

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
A Brazilian elderly woman receives a dose of the Coronavac vaccine at a drive through vaccination center at the Pacaembu Stadium in Sao Paulo, Brazil, on February 8, 2021. - Brazil's regulators gave conditional approval for Sinovac Biotech Ltds shot, CoronaVac, clearing the way for general use. Elderly and at risk members of the population have been given priority. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

A taxa de mortes e internações por coronavírus entre pacientes acima de 90 anos despencou na cidade de São Paulo desde o início da campanha de vacinação, em 17 de janeiro. Nenhum idoso nesta faixa etária morreu em março, enquanto 127 óbitos foram registrados no primeiro mês de 2021.

Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde divulgadas pela Globo, o número de pacientes acima de 90 anos internados na capital paulista caiu de 246 em janeiro para 104 em fevereiro e apenas três em março, todos com até 94 anos.

Leia também

Os casos de infecção também desabaram. Dos 380 diagnósticos positivos em janeiro, a administração municipal contabilizou 144 em fevereiro e quatro em março. Nenhum idoso acima de 95 anos contraiu a Covid-19 neste mês.

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, 90% das pessoas com 90 anos ou mais foram vacinadas. Esta faixa etária, a primeira da campanha de vacinação, recebeu a primeira dose do imunizante contra o coronavírus a partir de 5 de fevereiro.

Até a última sexta-feira (5), o Brasil atingiu a marca de 7.941.173 milhões de vacinados, segundo dados das secretarias estaduais de saúde obtidos pelo consórcio de veículos de imprensa. O total equivale a 3,75% da população.

A primeira dose de imunizante foi aplicada em 269.948 pessoas nas últimas 24 horas em todo o país. Já 147.177 brasileiros receberam a segunda dose entre quinta e sexta.