App tem instabilidade e Eduardo Leite pede reunião para discutir erros em votação de prévias

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
BRASILIA, DF,  BRASIL,  21-11-2021, 12h00: Prévias do PSDB para definição do candidato do partido para as eleições do ano que vem. O governador do RS Eduardo Leite chega para as prévias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER) ORG XMIT: AGEN2111211107929894
BRASILIA, DF, BRASIL, 21-11-2021, 12h00: Prévias do PSDB para definição do candidato do partido para as eleições do ano que vem. O governador do RS Eduardo Leite chega para as prévias. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODER) ORG XMIT: AGEN2111211107929894

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A eleição das prévias presidenciais do PSDB entre os governadores João Doria (SP) e Eduardo Leite (RS) ocorre neste domingo (21) marcada por instabilidade no aplicativo de votação.

Por causa das falhas, o governador do RS pediu uma reunião às 15h com a Executiva nacional do partido para discutir os erros identificados na biometria facial. No encontro, a ideia é avaliar o percentual de filiados que conseguiu votar e, eventualmente, prorrogar ainda mais a votação.

Em nota, Marco Vinholi, presidente estadual do PSDB-SP, e Fernando Alfredo, presidente municipal do PSDB-SP, disseram que, das 8h às 12h, o aplicativo apresentava instabilidade, "o que tem impossibilitado os filiados de votarem".

"Até o momento, 12h30, foram 4h30 praticamente sem o funcionamento do aplicativo. Somente em São Paulo são cerca de 26 mil (62% do total) credenciados que, neste momento, não conseguem acesso ao voto", indicou.

"O Diretório Estadual do PSDB de São Paulo já requereu providências e aguarda que o sistema de votação seja retomado o mais brevemente possível, evitando assim um prejuízo enorme para o filiado exercer o seu direito ao voto."

A votação pelo aplicativo é para filiados sem mandato e vereadores. A votação presencial, que ocorre em Brasília, termina às 15h e é voltada a prefeitos e vices, governadores e vices, deputados federais, senadores e ex-presidentes do PSDB.

A votação ocorre em clima de tensão, com ambas as campanhas traçando novas estratégias para ampliar a votação presencial e minimizar os problemas apresentados pelo aplicativo. A avaliação da campanha de Doria é de que a falha mancha as prévias do partido e comprova que o app não funciona.

A ferramenta começou a travar em todo o país por volta das 8h30. O uso do aplicativo foi definido pelo PSDB mesmo após as campanhas de Doria e Leite apontarem falhas e fragilidades. O partido apostou na correção desses problemas até a votação.

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, minimizou a questão. "Se o aplicativo está sendo demandado, é porque há envolvimento", disse. Ele afirmou ainda não descartar que o processo de votação acabe judicializado pelo perdedor, embora diga não esperar isso.

Ao todo, 44,7 mil tucanos (cerca de 3% do 1,3 milhão de filiados) se inscreveram para a votação indireta, em que cada grupo representa 25%: filiados; prefeitos e vices; vereadores e deputados estaduais; deputados federais, senadores, governadores e vices, ex-presidentes do PSDB e o atual.

O ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto também concorre nas prévias, mas sem chances de vencer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos