Apple desobriga uso de máscara para funcionários

Medida é anunciada justamente em um momento em que os Estados Unidos voltaram a registrar um aumento nos casos de Covid-19 no país por conta da subvariante BA.5 (Getty Creative)
Medida é anunciada justamente em um momento em que os Estados Unidos voltaram a registrar um aumento nos casos de Covid-19 no país por conta da subvariante BA.5 (Getty Creative)
  • Apple está desobrigando o uso da máscara por parte de seus funcionários

  • Medida foi anunciada em um momento de registro de alta nos casos de Covid-19

  • Em abril, objetivo da Apple de implementar um modelo híbrido que exigiria três dias de trabalho presencial por semana não teve sucesso

A Apple anunciou, nesta terça-feira, que os funcionários dos escritórios corporativos da empresa não serão mais obrigados a usar máscara. A medida é anunciada justamente em um momento em que os Estados Unidos voltaram a registrar um aumento nos casos de Covid-19 no país por conta da subvariante BA.5.

Em e-mail aos seus colaboradores, a empresa escreveu: “À luz das circunstâncias atuais, o uso de máscara não será mais necessário. Reconhecemos que as circunstâncias pessoais de todos são diferentes. Não hesite em continuar usando máscara caso se sinta mais confortável com isso. Além disso, respeite a decisão de cada indivíduo de usar ou não”.

Em abril, a empresa passou a exigir a volta dos funcionários aos seus escritórios, mas o objetivo de implementar um modelo híbrido que exigiria três dias de trabalho presencial por semana não teve sucesso. No mês seguinte, a Apple resolveu adaptar o esquema de trabalho para dois dias presenciais por semana, mesmo com o aumento de casos da doença no país.

As subvariantes da Ômicron vêm causando preocupação entre os especialistas, principalmente a BA.5, recentemente associada a um número maior de reinfecções, conforme aponta um estudo publicado na plataforma MedRxiv. Com isso, mais pessoas estão pegando Covid-19 pela segunda ou até terceira vez.

Segundo o estudo, realizado no Catar, pacientes infectados por Covid-19 antes da chegada da variante Ômicron tinham apenas 15% de proteção contra uma reinfecção que causava sintomas durante a onda BA.5. No entanto, a proteção contra uma infecção passada por uma variante Omicron foi cerca de 76%.

Em paralelo, uma empresa de sequenciamento genético chamada Helix apontou que a BA.5 é responsável por cerca de 80% das novas infecções por Covid-19 nos EUA. Segundo um relatório da empresa, a parcela de reinfecções quase dobrou de 3,6% durante a onda BA.2 em maio para 6,4% durante a onda BA.5, em julho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos